"En Passant" pela história do cristianismo

"En Passant" pela história do cristianismo

Atualizado: Quinta-feira, 31 Outubro de 2013 as 9:57

cristianismoA primeira geração do  Cristianismo viveu grandes mudanças. Jerusalém se tornou o Grande Centro e ganhava muitos adeptos logo após o evento do Pentecostes e dos muitos milagres e acontecimentos extraordinários que cercavam os apóstolos.
 
Esse grupo grande teve de se espalhar quando as autoridades religiosas e políticas se sentiram incomodadas, aos poucos foi privado de se reunir em locais públicos, como o Templo. Para manter-se alinhada com uma só identidade, os apóstolos que ficaram em Jerusalém tentaram  supervisionar as iniciativas ministeriais que aconteciam por toda a parte.
 
De modo informal, mas por causa do respeito que os primeiros cristãos nutriam pelos apóstolos e seu legado, mesmo de pois de sua morte, a Igreja se manteve unida e chegou aos dias de Constantino, o Imperador que se converteu ao Cristianismo e decidiu oficializá-lo como Religião do Império. Nasceu o Catolicismo Romano.
 
Como quase tudo o que deixa de ser clandestino para se tornar oficial, o Cristianismo se corrompeu de tal modo que após um período longo denominado como Idade das Trevas, houve uma Reforma Protestante “iconizada” por Martinho Lutero, mas compartilhada por muitos outros em toda a Europa.
 
Esta Reforma originou os grupos históricos como anglicanos, metodistas, luteranos, batistas e presbiterianos.  Depois deles vieram os grupos pentecostais como Assembléia de Deus, Quadrangular, Deus é amor e mais recentemente outro movimento originou os Neo-pentecostais, como Renascer e Universal e outros.
 
O Cristianismo é um guarda-chuvas que abriga grupos diferentes. Nós precisamos nos situar em nossa história e tradição e seguir o caminho que enxergamos em nossa geração.
 
 
- Alexandre Robles
 

veja também