Encontro define novos rumos para o projeto de capacitação teológica

Encontro define novos rumos para o projeto de capacitação teológica

Atualizado: Sexta-feira, 17 Dezembro de 2010 as 1:57

O 1º Encontro Teológico para Países Lusófonos, realizado entre os dias 28 de novembro e 2 de dezembro na cidade de Aveiro, Portugal, propiciou também a realização de uma reunião de avaliação dos resultados do Projeto SOL-África (Solidariedade com a África), que atua na capacitação teológica e envio de literatura em português para instituições metodistas de ensino teológico em Angola e Moçambique. Essa avaliação, bastante positiva, não apenas confirmou a expectativa de continuidade do projeto para os próximos anos, como demonstrou a necessidade de fortalecê-lo e ampliá-lo, com a entrada de novos parceiros e novas frentes de trabalho.

Formalizou-se a inclusão da General Board of Global Ministries (Junta Geral de Ministérios Globais), dos Estados Unidos, como instituição parceira, e foi iniciado um auspicioso diálogo com a Africa University, de Zimbábue. Atualmente, os estudantes africanos que seguem para estudos teológicos em Zimbábue, país de língua inglesa, precisam dedicar um ano inteiro a estudos intensivos do idioma antes de iniciarem as disciplinas de Teologia. Na reunião, aventou-se a possibilidade de um convênio entre a Universidade do Zimbábue e a Faculdade de Teologia da Universidade Metodista o qual permitiria que, durante esse primeiro ano de estudos, enquanto se aperfeiçoam no inglês, os/as estudantes pudessem receber parte do conteúdo teológico em português. Tal acordo ainda não foi fechado, mas novas viagens de professores da FaTeo a países africanos já são previstas para 2011. “Durante um semestre receberemos alunos/as africanos/as e no outro enviaremos professores/as à África”, informa a professora Blanches de Paula, coordenadora do Projeto.

Outra novidade é a inclusão de Portugal entre os países beneficiados pelo projeto de capacitação. Os docentes da FaTeo que forem designados a ministrar cursos na África deverão fazer uma escala de alguns dias em Portugal, a fim de oferecer um programa de formação continuada aos teólogos/as portugueses. A professora Blanches explica que a Igreja Evangélica Metodista Portuguesa conquistou sua autonomia recentemente. Até o ano de 1996, a Igreja portuguesa ainda era vinculada à Igreja Metodista da Grã-Bretanha, de modo que a formação e literatura teológica vem sendo oferecida em inglês aos pastores portugueses. A parceria com a FaTeo, tanto no envio de professores como de literatura teológica permitirá que os/as teólogos portugueses desenvolvam estudos em seu próprio idioma.

O próximo passo, afirma a professora Blanches, é estimular a autonomia africana na reflexão teológica, incentivando os teólogos da África a produzirem literatura a partir de seu próprio contexto e experiência. Durante o encontro lusófono, a apresentação de reflexões teológicas elaboradas por professores de Angola e Moçambique mostra que o Projeto SOL-África está num caminho muito promissor. De Moçambique, o professor Nito Armando Joaquim apresentou a palestra “Diálogo sobre reflexão teológica em países lusófonos” e os professores Iliana Lucite Pereira e Júlio André Vilanculos, falaram sobre “Justiça, Solidariedade e Encontro”. Representando Angola, a professora Elvira Moisés da Silva Cazombo proferiu palestra sobre “A Teologia do Encontro para o Pensar Teológico em Angola”; o professor Adilson Leitão Silvestre de Almeida falou sobre “Justiça no Contexto Wesleyano e Angolano” e o professor Almeida Lemba sobre "Amor à Criação e Justiça a Gerações Vindouras".  

veja também