Encontro orienta adolescentes gaúchos sobre relacionamentos

Encontro orienta adolescentes gaúchos sobre relacionamentos

Atualizado: Quarta-feira, 13 Outubro de 2010 as 11:36

Trezentos e cinquenta adolescentes participaram do Adoletchê, um encontro de adolescentes gaúchos realizado entre 8 e 10 de outubro no Iacs (Instituto Adventista Cruzeiro do Sul), em Taquara (RS).  

Os atrativos foram variados. Houve momentos para dinâmicas e gincanas. Já em outras ocasiões, o grupo precisou parar um pouco para um papo mais sério. Foi o caso de um debate, no sábado à tarde, que reuniu os médicos Claiton Gonçalves e Jocemara Fernandes, a psicóloga Marisa Lihl e os pastores Moisés Mattos (presidente da Igreja Adventista na região central do Estado), José Santos (doutor em Teologia) e Amilcar Gröschel (professor no Iacs).

A conversa, mediada pelo líder de Jovens adventistas na parte central do Rio Grande do Sul, Elton Bravo, foi estruturado a partir de perguntas levantadas pelos próprios adolescentes. A problemática dos relacionamentos precoces e efêmeros foi um dos principais aspectos discutidos. Na avaliação da médica Jocemara Fernandes, o famoso "ficar" desconsidera um dos atributos mais importantes de um relacionamento saudável: o compromisso. "O ficar demonstra falta de compromisso e qualquer tipo de envolvimento. É um tipo de relacionamento que Deus não aprova porque não compromete. Deus espera de nós amor. E amor envolve compromisso. Quando o amor é verdadeiro, ele é generoso. Quando eu amo, me coloco no lugar do outro e quero saber se aquela pessoa não será prejudicada com o que está acontecendo. O amor também é permanente, e uma coisa permanente é comprometedora", completa.

Mas como levar a garotada de hoje a seguir tais conselhos? Na opinião do pastor Amilcar Gröschel, aquilo que o adolescente contempla é decisivo nas suas escolhas. Com base nesse fato, ele apelou: "Nós somos o que contemplamos. Essa é uma lei bíblica. Nada do que a gente está dizendo aqui vai entrar na tua cabeça e vai ficar se você continuar assistindo o filme, o seriadinho, a novelinha que expõe a banalização dos relacionamentos. Deus está esperando uma geração diferente, que contemple as coisas sagradas", ressalta.

Investimento em conscientização - A precocidade dos relacionamentos, fenômeno verificado com intensidade crescente na sociedade contemporânea, requer uma atenção especial a meninos e meninas que se encontram na adolescência, uma fase permeada por descobertas. Dados do Ministério da Saúde apontam, por exemplo, que os adolescentes brasileiros estão antecipando cada vez mais o início da vida sexual. Em média, os garotos começam a fazer sexo com 14,5 anos de idade e as garotas com 15 anos.

Para evitar que esse público incorra em decisões precipitadas que deixem marcas para o resto da vida, a Igreja Adventista tem se preocupado em trazer orientação sobre o assunto. Eventos como o Adoletchê tem sido uma oportunidade para levar conselhos úteis para a vida desse segmento, sempre com base nas recomendações bíblicas para os relacionamentos.

Essas orientações são transmitidas de diferentes maneiras: por meio de palestras, debates, gincanas e dinâmicas - de maneira informal e atraente. A música cristã, que também desempenha um papel importante na formação do caráter, ocupou um espaço importante no Adoletchê 2010. Subiram ao palco neste ano a cantora Etiene e o Quarteto Communion.

"A maior alegria foi ver os adolescentes assumindo o compromisso de tomarem, com a ajuda de Deus, as decisões certas para suas vidas. Quem ganha com isso é a família e a igreja", realça Samara Zabel, coordenadora do Ministério da Criança e do Adolescente para a região central do Estado.

Confirmando esse compromisso, quatro adolescentes foram batizados no final de semana. Outros 20 também manifestaram interesse em tomar a mesma decisão em breve.  

veja também