Entidades evangélicas precisam de apoio, dizem pastores

Entidades evangélicas precisam de apoio, dizem pastores

Atualizado: Segunda-feira, 19 Abril de 2010 as 12

No title A convite do PMDB de Ji-Paraná, cerca de quinze pastores e lideranças evangélicas se reuniram com Confúcio Moura, em Ji-Paraná, no último sábado, para discutir com o pré-candidato a governador pelo PMDB as ações sociais que as igrejas prestam nas diversas áreas, como tratamento de dependentes químicos, atendimento a gestantes, a mães vítimas de violência, creches, enfim, uma série de atividades que desenvolvem no campo da assistência social, sem qualquer ajuda governamental do Estado.

Um pastor dirigente de uma importante entidade que atende dependentes químicos em Ji-Paraná, por exemplo, disse que na inauguração do centro de tratamento Ebenézer recebeu várias promessas de emendas parlamentares para ajudar nas despesas. Passado mais de ano, ele se diz desacreditado. "Cansei de esperar. Decidi que não falo mais sobre as emendas enquanto não tiver os recursos em caixa", desabafou o líder evangélico.

Confúcio lembrou que enquanto esteve à frente da prefeitura de Ariquemes sempre manteve uma boa parceria com instituições da área da assistência, seja por meio do repasse direto de recursos ou através do pagamento de funcionários e técnicos especializados para lidar com cada tipo específico de público.

Em Ariquemes, até um projeto de alfabetização dentro das igrejas foi implantado pelo ex-prefeito Confúcio Moura. "Aquele fiel que anda com a bíblia embaixo do braço precisa saber ler e interpretar bem o que está escrito. Em alguns casos, devido a idade avançada e à visão curta das pessoas, não dá resultados. Junto a maioria, entretanto, o projeto vem sendo muito bem recebido", disse.

Confúcio Moura defende maior participação do poder público através de parcerias com entidades do gênero. "São entidades sérias que preenchem uma importante lacuna na omissão do Estado. São pessoas que estão ajudando a salvar vidas. É um trabalho muito sério, de resultados positivos e que, sem sombra de dúvidas precisa do apoio oficial não só do executivo, como do judiciário, do legislativo e de instituições como o Ministério Público", enfatizou.

Foto: Portal RO.com

veja também