Entrevista: Tim Elmore - Presidente do Growing Leaders

Entrevista: Tim Elmore - Presidente do Growing Leaders

Atualizado: Quarta-feira, 17 Dezembro de 2008 as 12

Durante muitos anos, ele fez parte da equipe de John Maxwell e, em 2003, criou o Growing Leaders, uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo treinar jovens, de até 25 anos, para serem os futuros líderes do planeta. Bem humorado, criativo e extremamente simples, Tim Elmore ensina liderança para várias coorporações nos Estados Unidos e no mundo e está tocando um projeto de implantação do Growing Leaders no Brasil, em parceria com o Pr. Massao Suguihara e a Cruzada Estudantil. Confira a entrevista exclusiva que esse "papa" da liderança concedeu ao Portal Guia-me durante sua estada no nosso país.

Guia-me: Como surgiu o seu interesse pelos adolescentes e jovens?

Tim Elmore: Eu trabalhei com John Maxwell por 25 anos. Ele é um treinador de líderes muito conhecido no mundo inteiro e, todo tempo em que estava com Maxwell, sempre tive o meu olhar voltado para a nova geração. Enquanto John sempre olhou para os adultos, eu olhava para os jovens.

Guia-me: Qual é o seu foco principal no trabalho com os jovens?

Tim Elmore: Os estudantes têm muita energia, mas sem nenhum foco, sem direção. A maioria das campanhas voltadas para eles se concentra nas mensagens de "não use drogas" ou "não beba". Ese tipo de coisa ajuda-os a manter a adolescência sem desafiá-los a serem líderes. Eu acho melhor, ao invés de dizer a eles o que não fazer, dizer o que eles têm potencial para fazer. Há um grande potencial de liderança em cada jovem.

Guia-me: E como despertar esse potencial?

Tim Elmore: Há dois tipos de liderança e cada estudante se encaixa em uma dessas categorias. A primeira delas é o que eu chamo de Lidrança Habitual, é o líder nato, os que naturalmente gostam de tomar as rédeas das situações. Esses líderes podem ser reconhecidos com facilidade, mas podemos encontrar apenas um deles em cada 10 jovens. Em contrapartida, nove entre 10 estudantes são líderes situacionais. Esse tipo é aquele que costuma dizer: "Eu não sou um bom líder". Mas, se colocados numa situação onde eles se sintam à vontade, gostem do que estão fazendo, eles podem se tornar influenciadores. Todos foram criados para uma situação. Eu acredito que o que os membros das universidades precisam é ajudar os alunos a encontrar sua situação. Quando ensino liderança não quero transformar os jovens em algo que eles não são, mas ajudá-los a encontrar algo com que eles se identifiquem. A liderança pura flui das nossas forças, da nossa paixão.

Guia-me: Quais as diferanças que o senhor pode notar entre os jovens brasileiros e os americanos. E o que eles têm em comum?

Tim Elmore: Existem coisas semelhantes e diferentes entre os jovens brasileiros e os dos Estado Unidos. Eu tenho treinado jovens líderes de 40 países diferentes e, em todos eles, existe uma fome de mudar o mundo, uma paixão para fazer algo diferente de tudo o que já foi feito.

Guia-me: Qual é a base do seu método de liderança?

Tim Elmore: Eu ensino liderança de uma forma diferente que eu chamo de Geração EPIC. O E é de E xperiências. Os jovens não querem palestras, mas experimentação. Eles também querem fazer P arte de um programa, querem se sentir parte daquilo. É preciso promover algo que os estudantes apóiam, que eles ajudem a criar. O I vem da riqueza de I magens. Essa geração cresceu rodeada por vídeos, DVD, telefones celulares. Eu acredito que a imagem é a linguagem do século 21, não as palavras. O C é de C onexão. Os jovens têm que estar conectados o tempo todos. É preciso que eles façam conexões através dos relacionamentos. Tudo o que eu ensino, tento transformar em EPIC.

Guia-me: O senhor concorda que a geração atual não tem manifestado o mesmo espírio contestador das gerações passadas?

Tim Elmore: Em certo aspecto sim. Cada geração se rebela contra a geração anterior e algumas vezes isso é bom e outras é ruim. Acredito que os jovens de hoje são subestimados. Acho que eles, como todos nós, querem fazer algo que seja muito importante, mas quase impossível.

Guia-me: Qual é o objetivo do seu ministério no Brasil?

Tim Elmore: Queremos organizar, juntamente com os nossos parceiros, eventos que tragam muitas experiências, incluindo vídeos, músicas, imagens. Queremos ganhar o coração dos jovens para depois formar comunidades de discipulado, onde eles podem responder positivamente. Em cada comunidade haverá um mentor. Nas comunidades se falará sobre a Habitudes, que são imagens que formam hábitos e atitudes de liderança. O Pr. Massao (Suguihara, do Adoração e Adoradores) já está montando um grupo piloto.

Guia-me: Por que o senhor desenvolveu um método baseado em imagens, as "habitudes", como são mostradas nos seus livros?

Tim Elmore: Há várias maneiras de ensinar com imagens e isso era o que Jesus fazia quando sugeria parábolas falando de sementes, pássaros... Imagens são uma forma eterna de ensinar a Verdade.

veja também