Escola Dominical de igreja Presbiteriana completa 100 anos

Escola Dominical de igreja Presbiteriana completa 100 anos

Atualizado: Terça-feira, 1 Fevereiro de 2011 as 9:23

A Escola Dominical da Igreja Presbiteriana de Americana, situada no Centro da cidade, completa 100 anos em 2011. As tradicionais reuniões realizadas aos domingos a partir das 9 horas atraem um número significativo de pessoas de todas as idades e religiões. Os debates de temas atuais e as polêmicas que cercam a vida moderna ocorrem à luz da sagrada escritura. Manter a fé e o desejo de praticar o amor ao próximo e os ensinamentos cristãos acesos no coração das pessoas - apesar da falta de tempo e da correria do dia a dia - é o maior desafio da equipe envolvida com a organização das aulas-debates.

Falando um pouco de história, o termo "escola dominical" foi primeiramente usado pelo jornalista evangélico Robert Raikes, na Inglaterra, a partir de 1780, quando começou a oferecer aulas gratuitas de alfabetização, aritmética, boas maneiras e estudo da Bíblia à comunidade. Os primeiros alunos eram crianças que ficavam ociosas nas ruas.

"Na época a iniciativa não foi bem aceita. Ele (Raikes) foi chamado de profanador dos domingos, um dia tradicionalmente reservado para o Senhor. Mas, de repente a escola se alastrou para a Europa toda e foi para os Estados Unidos e depois veio para o Brasil", contou o pastor da Igreja Presbiteriana de Americana, Ailton Gonçalves Dias Filho.

FAMÍLIAS TRADICIONAIS

A primeira escola dominical surgiu no Brasil em 1855, na cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Hoje, todas as igrejas evangélicas históricas (Metodista, Batista, Presbiteriana) mantêm turmas funcionando aos domingos. Segundo o pastor, na escola bíblica dominical se estuda a realidade e a atualidade à luz da Bíblia.

"É o melhor espaço da igreja evangélica no Brasil hoje", definiu o reverendo. "Se você quer aprender um pouco de Bíblia você não vai aprender tanto no culto da noite, mas na Escola Dominical", completou. Isso ocorre, segundo ele, porque durantes os cultos apenas o pastor fala e raramente ou quase nunca é interrompido por alguém da comunidade que tenha sido tomado por uma dúvida.

A principal característica das "aulas" de domingo é a interatividade, a participação dos "alunos", que têm a liberdade de perguntar, discordar, protestar, dar a opinião. O crescimento numérico de alunos evoluiu se comparado às primeiras turmas, de acordo com o pastor, por conta da atualização da proposta pedagógica.

DESAFIO

Diferente da época em que a escola foi implantada em Americana, em 1911, com a chegada do português Zeferino Ferreira, sendo frequentada por famílias tradicionais como Jones, Hall, Rehder, Benencase, nos dias atuais o perfil dos frequentadores mudou. "Nosso maior desafio é o secularismo, ou seja, distanciamento da religião por falta de tempo ou comodismo. A direção da Escola Dominical está se esforçando para incentivar os alunos a participar das aulas", disse o pastor.

O reverendo defende que é preciso revitalizar as escolas dominicais das igrejas evangélicas no Brasil criando temas atraentes, usando os recursos tecnológicos disponíveis, mantendo professores capacitados e uma proposta pedagógica atualizada.  

veja também