Especialista ensina igreja a se preparar para crises de saúde pública como o coronavírus

O psicólogo Jamie D. Aten mostra alguns passos a serem seguidos para enfrentar epidemias em locais públicos.

fonte: Guiame, com informações do Facts and Trends

Atualizado: Segunda-feira, 2 Março de 2020 as 3:58

Pessoas reunidas em culto. (Foto: Reprodução/Relevant)
Pessoas reunidas em culto. (Foto: Reprodução/Relevant)

No artigo “Sua igreja está pronta para o coronavírus?”, o psicólogo americano Jamie D. Aten – fundador e diretor executivo do Instituto de Desastres Humanitários (IDH) e presidente da Liderança Humanitária e de Desastres do Wheaton College nos EUA – explica como as líderes devem preparar suas igrejas para uma crise de saúde pública como o coronavírus.

De acordo com o Centro de Controle de Doenças (CDC), é importante que as igrejas considerem como irão se preparar e responder em suas congregações e comunidades se precisarem enfrentar esse tipo de situação.

Como as comunidades religiosas frequentemente enfrentam uma série de barreiras à preparação para emergências, incluindo falta de pessoal, fundos, voluntários, tempo e recursos, o IDH preparou algumas ações – simples – que podem ajudar para qualquer potencial crise de saúde pública.

A primeiro conselho é evitar o pânico.

O IDH diz que com as últimas notícias da Ásia e da Europa, é importante levar esse vírus a sério, além de ajudar as pessoas a evitar o pânico.

Quando há uma crise de pânico generalizada, é preciso gerencias esses comportamentos, o que é chamado pelos psicólogos sociais de "teoria da gestão do terror" (TMT). Ela é a forma de os seres humanos fazer todo o possível para evitar enfrentar a mortalidade, gerenciando a ansiedade. “Todos fazemos isso, muitas vezes inconscientemente, como uma maneira de impedir que nossos medos nos dominem”, esclarece.

As pessoas geralmente são ruins na avaliação de riscos - e isso só aumentará à medida que relatos de coronavírus persistirem nas notícias nos próximos dias, semanas e meses.

O ideal é substituir o pânico pela preparação. Para isso, é importante ouvir fontes confiáveis ​​e confiáveis, como o Ministério da Saúde local, para obter informações, recomendações e ferramentas.

Outra atitude importante é construir um plano de preparação.

Segundo pesquisas, a maioria das congregações não está preparada para crises de saúde pública - seja coronavírus ou gripe - mesmo que muitas pessoas procurem as congregações locais para obter respostas e assistência durante essas crises.

Saber o que fazer diante de uma crise pode ser um ministério significativo para nossas congregações e comunidades.

Esperamos que este guia ajude os líderes da igreja a fazer importantes preparativos caso o vírus coronavírus ou qualquer outra situação de saúde pública afete a comunidade.

Aqui estão alguns primeiros passos:

1. Prepare uma equipe para o ministério.

Identifique os líderes da sua congregação que podem formar uma equipe e / ou fazer parceria com outras casas de culto da sua região, para se preparar para um desastre e implementar um plano caso uma pandemia atinja sua comunidade.

É ideal criar essa equipe antes que ocorra um desastre.

2. Familiarize-se com a saúde pública.

Pergunte à sua equipe se há pessoas em sua comunidade de fé especialmente expostas ou vulneráveis. Existem práticas de fé que podem levar à exposição?

Entre em contato com as autoridades locais de saúde pública e as agências de saúde pública para obter orientação sobre as melhores práticas e a melhor maneira de lidar com o surto atual.

3. Crie um plano de emergência.

Reúna sua equipe para identificar riscos, ameaças, papéis de liderança, estratégias, políticas e procedimentos de comunicação.

Aconselhamos um plano escrito. Lembre-se de que o planejamento eficaz de emergência congregacional começa com a liderança máxima.

4. Envolver-se na prevenção.

Pare emergências evitáveis ​​sempre que possível e considere como oferecer educação aos membros da sua igreja. Eduque as pessoas sobre os sinais, sintomas e avisos do coronavírus. Compartilhe dicas para se manter seguro.

Não reinvente a roda. Consulte órgãos oficiais e agências locais para obter informações, recursos e diretrizes precisas e confiáveis ​​e siga seus conselhos.

5. Considere um plano de mitigação (cancelamentos).

O que seria necessário para você cancelar cultos ou atividades para manter todos em segurança? Como sua igreja forneceria recursos? Quem toma as decisões e comunica as notícias?

Pense nisso com antecedência, para que você tenha uma estrutura pronta e esteja pronto para responder quando e se chegar a hora.

Uma abordagem medida, orientada pela preparação e não pelo pânico, ajudará sua igreja a estar pronta para o que vier, informada para mitigar o risco real e preparada para responder bem ao procurar demonstrar o amor de Cristo àqueles que podem ser impactados.

veja também