Estevam Fernandes: "Pedi a Deus que me desse vontade de orar"

Estevam Fernandes: "Pedi a Deus que me desse vontade de orar"

Atualizado: Quarta-feira, 14 Abril de 2010 as 12

"Qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar?", a passagem de Lucas 15:8 foi a base para que o pastor Estevam Fernandes, líder há 30 anos da 1ª Igreja Batista de João Pessoa (PB), falasse ao público do Congresso no Navio MSC Orchestra, na última segunda-feira, dia 12 de abril, sobre perdas. "Algumas perdas são inevitáveis, são irreparáveis", disse o pastor.

Em meio a temas teológicos, Fernandes, que também é terapeuta clínico, expôs que seu desejo era falar sobre a alma humana. Contando alguns testemunhos pessoais, o pastor falou sobre perdas que podem não ter reparação para um líder.

"Não perca jamais o senso da direção de Deus"

Quando o veículo que possuía era uma Kombi e não tinha dinheiro suficiente para pagar suas contas, Fernandes contou que imaginava que dinheiro seria o modo de evitar o sofrimento, e passou por um período de abatimento emocional, à frente da igreja. Foi a carta de uma mulher, membro da igreja, que trouxe a ele um novo ânimo, o texto dizia ao final: "Por favor, não perca a direção de Deus para sua vida". O pastor testemunhou que mantendo o foco, tem hoje, "pela graça de Deus", uma igreja com 3500 membros na capital paraibana.

Em 2007, Fernandes recebeu uma proposta que também poderia tê-lo feito desviar de seus propósitos. O pastor recebeu a ligação do governador do estado, que disse a ele: "Nós decidimos lhe convidar para ser senador pela Paraíba [...] Eu sei que o senhor é um homem de oração, então vou lhe dar uma semana para orar". A resposta de Estevam foi imediata: "Enquanto o senhor fala comigo, eu falo com Deus e não posso aceitar". Passada uma semana, Estevam Fernandes recebeu uma nova ligação que lhe oferecia a vice-candidatura e mais uma vez o pastor negou o convite.

"Não quero o Senado, quero a minha igreja para pregar o Evangelho de Jesus Cristo. Propostas bonitas podem desviar do caminho", falou ao público do Congresso no Navio.

"Jamais perca na vida a consciência da finitude"

Terapeuta clínico, Fernandes reconhece que algumas pessoas vivem a "síndrome de faraó", por acreditarem que são eternas, dizendo: "Eu posso, eu tenho, eu sou". Segundo o líder, isso pode atrapalhar o ministério de um homem ou uma mulher, que deixa de depositar em Deus a confiança e não reconhece sua limitação e finitude.

"Não perca jamais a sua família"

"Nenhum pastor pode dizer-se pastor se tiver uma mulher mal-amada, filhos que não vão mais à igreja. Pregue, persiga, cante &Viva o reino&, mas não perca a sua família", pediu Fernandes a todos os presentes no congresso. "No dia em que meu filho, minha esposa, não anotarem meu sermão, eu não sou mais pastor de ninguém", expressou.

O pastor frisou que presbíteros, diáconos, e membros da igreja podem deixar um pastor sem apoio. "A esposa vai cuidar das nossas feridas na velhice e vai morrer ao nosso lado", reiterou. Fernandes pediu ao público que levantasse a mão e cerrasse os punhos: "Diga: &Minha família é meu maior tesouro e eu não vou perdê-la&".

Janice Coelho, esposa do pastor Silmar Coelho, com quem divide o ministério dedicado a casais e família, assistia à ministração. Em entrevista ao GUIAME.com.br , Janice destacou a importância do líder preocupar-se com seu lar, antes mesmo da igreja que administra.

"Infelizmente têm pastores que cuidam muito bem dos filhos dos outros e perdem os seus. A gente [Janice e Silmar] fez um propósito de que isso nunca vai acontecer na nossa família. Acima de tudo, Deus me chamou para ser mãe, e Silmar, acima de tudo, para ser pai. A primeira coisa acima de tudo é Deus, e depois a família, a igreja vem em terceiro, vem depois", disse Janice, evidenciando que muitos líderes negligenciam sua saúde: "Já foi comprovado que os pastores são o grupo de maior risco de infarto [...] Eles cuidam muito dos outros e esquecem deles. Têm pastores que nunca vão a médicos, nunca fazem um check up. Lá não, nós fazemos check-ups todos os anos. A gente tem que cuidar do corpo, da alma. Para a gente alimentar os outros, temos que estar bem conosco".

"Nunca perca o privilégio de ter um coração quebrantado"

Outra perda irreparável para Estevam Fernandes é deixar que o coração esteja endurecido. O líder revelou que há aproximadamente oito anos tinha orgulho de ouvir de um membro: "Nosso pastor é intelectual, tem muitos cursos...". No entanto, não esperava ter que escutar também a afirmação: "Pastor Estevam eu gosto de ouvir, mas é &fulano& que ora pela gente".

Estevam contou que aquela frase fez com que refletisse sobre seu ministério e percebesse que era uma realidade em sua vida ministerial. O líder narrou que pediu então a Deus que desse a ele vontade de orar nas madrugadas, jejuar e "chorar como pastor". Mas foi pela oração de uma mulher assembleiana que ouviu a revelação de Deus: "O Senhor está dizendo: &Eu te quero nas madrugadas para abençoar sua vida&". "Porque o pastor Batista só pede oração às escondidas", revelou.

"Não perca jamais a paixão pelas pessoas"

Segundo Estevam, o ministério pastoral é feito "de gente". "É gente que tem que ser abraçada, beijada. Você serve ao Senhor que coloca gente em nosso caminho", afirmou.

O líder apontou então cinco olhares que agradam a Deus: "Olhar para trás com gratidão; olhar para os lados com amor; olhar para dentro de si com arrependimento; olhar para cima com louvor; e olhar para a frente com esperança".

Em entrevista ao GUIAME.com.br, Estevam Fernandes relatou que suas mudanças impactaram a igreja que lidera há 30 anos. "Eu entendo que o principal viés das mudanças foi primeiro a minha própria maturidade. Segundo, a graça de Deus. Terceiro, as lutas que eu passei e Deus foi quebrantando e, por último, entendo que nenhum pastor cresce, nenhum pastor tem raízes, vê mudanças, se não tiver coragem de ficar muito tempo no mesmo lugar. Trinta anos me faz plantar, regar, colher, e também produzir crescimento, novas reflexões, mudanças... Eu saí do meu &gueto batista&, eu interagi com outros colegas, passei a fazer outros cursos e me &linkei& com o mundo ao meu redor. E isso tudo me ajudou a crescer".

CIT 2010

O CIT 2010 acontece de 9 a 13 de abril, a bordo do navio MSC Orchestra, partindo do porto de Santos (SP), passando pela capital carioca e fazendo mais duas paradas no estado do Rio de Janeiro: Búzios e Ilha Grande.

O evento, organizado pela agência de viagens Lexus Turismo, reúne músicos e palestrantes reconhecidos internacionalmente para louvor e discussão de temas bíblicos.   Por Adriana Amorim   Fotos: Marcos Corrêa  

veja também