"Eu lutei muito com Deus", confessa Daniel Almeida

"Eu lutei muito com Deus", confessa Daniel Almeida

Atualizado: Segunda-feira, 22 Março de 2010 as 12

Um homem que resistiu ao chamado de Deus por anos e hoje reconhece que pagará o preço de tal atitude pelo resto de sua vida. Essa é parte do testemunho de vida de Daniel Almeida, atual ministro de louvor da Igreja Batista Central de Fortaleza (CE). Convidado pela Igreja Batista Candeias participar do Adorador realizado no último sábado, 20, o líder ministerial não só cantou junto ao seu grupo, mas também testemunhou parte de sua história e fechou o evento, dividindo o palco com o Ministério de Louvor Candeias.

Após abrir o evento com muita música e louvor junto ao Minitério de Louvor da Igreja Batista Central, Daniel revelou em seu testemunho as dificuldades que passou ao tentar uma carreira musical. Com um histórico familiar conturbado, o cantor se converteu ainda jovem, em São Luiz (MA) e teve o seu primeiro contato prático com a música dentro da igreja, ao ser chamado por um amigo para integrar um ''conjunto musical'' ou ''conjunto eletrônico musical'', como ele afirmou que eram chamadas as bandas pelas igrejas da época.

Com influências como ''Matos Nascimento'' e outros da linha pentecostal o músico cantava junto ao seu grupo em diversas igrejas do estado. Ao perceber que sua banda estava fazendo sucesso pela região, Daniel percebeu que lidar com certos ''perigos'' existentes nessa trajetória. Porém ao receber uma crítica destrutiva do baixista de sua banda sobre a qualidade de sua técnica vocal, Daniel passou a duvidar não somente de sua vocação musical, mas sua fé também se abalou. O cantor afirma que por muitas vezes Deus o mostrava que ele tinha potencial para cantar, mas ele não conseguia vencer a batalha interior que sofria no momento.

''Naquela época eu me afastei da Igreja, a minha cabeça era cheia de 'confusões teológicas'. Eu não era maduro na fé e cheguei a pensar que poderia morrer e ir pro inferno a qualquer momento. Andava com medo e lutei contra o chamado de Deus durante muito tempo. Mas a verdade é que ninguém sai ileso de uma luta como essa. Vejam só o caso de Jacó no Vale do Jaboque. Após aquele encontro com Deus, ele mancou para o resto da vida, porque quis lutar contra Deus'', lembrou.

Optar pelo pecado?

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, Daniel revelou que a sua resistência ao chamado de Deus também era causada por seu próprio orgulho. O cantor assumiu que a cada vez que se recusava a trabalhar para o Senhor, tomava tal atitude porque preferia continuar em uma vida de pecado e longe de Deus.

''Depois desse chamado, dessa persistência de Deus, eu comecei a perceber que, primeiro: por conta de quem eu era como cristão que vivia no pecado, eu comecei a perceber que isso era mais uma forma de orgulho, ou seja, essa minha atitude de 'não quero isso para mim agora', surgia porque eu não queria compromisso sincero com Deus, eu queria mais com o pecado. Essa fuga de Deus por minha parte, era por conta disso'', relatou.

Maldade humana ou setas do maligno?

Ao ser questionado sobre a crítica que o desanimou e o colocou em conflito com sua fé, Daniel acredita que houve uma mistura entre maldade vinda do coração humano por parte do integrante de sua banda, porém tal sentimento também pode ter sido usado por Satanás para desanimar o cantor.

''No tempo que ele [baixista] falou isso, ele tinha razão. Ele não mentiu [risos]! Eu estava começando a cantar. O problema foi que eu precisei de direcionamento. A maldade humana acabou agindo nesse fato, porque ele não foi sábio. Ele poderia ter dito, por ser mais velho e mais experiente que eu: 'Cara, melhora mais isso e aquilo'. Foi muita misericórdia de Deus para eu prosseguir, porque na verdade a vontade era de desanimar. Custou muito para eu acreditar que tenho um potencial. Eu lutei muito com isso. Foi também uma arma para me travar por muito tempo. Ali foi a mão humana, mas eu também acredito que o diabo usou aquilo para me frustrar em algumas áreas''.

Dons edificantes

Ao falar sobre vencer barreiras e lidar com críticas, o ministro aproveitou para deixar uma dica para aqueles que estão iniciando um ministério - de louvor ou qualquer outra área. Citando a carta do apóstolo Paulo à igreja de Éfeso, o líder lembrou que a finalidade de todos os dons dados por Deus.

''Eu acredito muito em Efésios 4, quando Paulo fala para a igreja de Éfeso, ministrando sobre o derramamento do Espírito de Deus para a utilização dos dons na igreja. Ele fala que no final, é para a edificação da Igreja. Então para mim é assim: 'Cara, se o teu dom está edificando, pessoas estão sendo abençoadas, prossiga'. Isso é um testemunho bíblico de que realmente Deus te abençoou. Isso para mim é o principal''.

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também