"Eu quero paz", diz Silas Malafaia sobre sua saída da CGADB

"Eu quero paz", diz Silas Malafaia sobre sua saída da CGADB

Atualizado: Segunda-feira, 17 Maio de 2010 as 9:30

O pastor Silas Malafaia deixou a Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), na qual ocupava o cargo de primeiro vice-presidente há pouco mais de um ano. O anúncio foi feito no último sábado, 15 de maio, durante o programa Vitória em Cristo, transmitido pela Band. O presidente da Convenção é o pastor José Wellington Bezerra da Costa.

"Eu vou seguir uma visão que Deus me deu. Só o tempo vai mostrar a vocês. Não adianta falar agora e nem eu vou explicar. Eu não vou falar aqui nada. Eu podia falar coisas de deixar o cabelo arrepiado mas não vou fazer nada disso. Eu não vou cuspir no prato que eu comi. Eu não estou pedindo, nem mandando ninguém fazer o que eu estou fazendo. É uma decisão pessoal. Quem sabe, não sei, eu posso até um dia voltar", disse Malafaia sem detalhar o motivo do desligamento.

O líder também destacou que o nome da igreja que pastoreia, a Assembleia de Deus Penha, mudará o nome para Assembleia de Deus Vitória em Cristo, "apenas para tirar o nome de bairro". "Eu não sou pastor da Assembleia de Deus por causa da CGADB, por causa de convenção. Eu sou pastor da Assembleia de Deus porque Deus me chamou", destacou Malafaia que acredita em novos patamares para a sua comunidade. "Eu sei que Deus vai levar essa igreja para algo especial nessa nação. Eu não quero perturbar a vida de ninguém, não quero arrumar problema com ningúem e que ninguém arrume problema comigo. Eu quero paz. Eu quero fazer a obra de Deus. Eu cheguei a conclusão que para a visão que Deus me deu não me interessa participar da CGADB", afirmou.

Além de renunciar o cargo na CGADB, Silas Malafaia também se desliga, contra vontade própria, da CEADER (Convenção Evangélica das Assembleias de Deus no Estado do Rio de Janeiro), uma convenção classificada pelo assembleiano como "extraordinária". "Só estou saindo da CEADER porque o estatudo diz que para ser membro da CEADER tem que ser membro da CGADB", destacou.

Por Felipe Pinheiro

veja também