Eu te darei alívio

Eu te darei alívio

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:17

Estamos vivendo os últimos dias do ano de 2011. Isso é, até certo ponto, um privilégio. Há aqueles que começaram bem o ano, mas não podem dizer o mesmo em relação ao seu término. Talvez você seja um exemplo disso.

No início você tinha um bom emprego, mas agora se encontra desempregado; o casamento estava bem, mas desmoronou; as notas da faculdade caíram; faltou dinheiro para pagar a hipoteca; o seu bom filho ou filha se envolveu com quem não deveria; você resolveu “cair fora” da igreja.

Se você está preso a alguma dessas situações ou em outra semelhante, certamente está cansado. O seu ânimo e a sua estima podem estar em baixa. Nessas horas um desabafo ajuda, mas quem o compreenderá? Porventura compreenderíamos o desabafo de Marta: “…se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão”? (Jo 11:21). Entenderíamos o clamor do condenado crucificado: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? (Mt 27: 46).

Nem sempre temos a resposta para perguntas desse porte. Isso porque as mesmas advêm do profundo do coração humano, o qual só Jesus pode perscrutar. Logo, sem medo de estar equivocados, podemos afirmar: “Cristo nos entende! Ele nos conhece mais do que nós mesmos o poderíamos!”

Por nos conhecer e se importar com a nossa alma aflita é que Ele nos oferece alívio. As suas palavras são animadoras: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mt 11:28). Que atitude linda! Que palavra poderosa! Quanta autoridade! O nosso Senhor diz: “eu vos aliviarei!”.

As pessoas olharão para você e observarão o seu semblante abatido. Elas notarão o seu coração afadigado pelas pressões do dia a dia. Então, poderão apenas lhe oferecer um presente qualquer e dizer: “Que você tenha um feliz ano novo”. Nada, além disso. Mas nada mudará e o rancor continuará a dominá-lo, a tristeza não será afugentada, o medo não se ausentará, e mais uma vez, você correrá o risco de não ter um feliz ano novo.

Portanto, reflita sobre o que se passou, mas pare um pouco e escute a voz do Mestre: “Venha a mim; eu te dou alívio”.

Faça como fez Marta, que chamou a Jesus por ocasião da morte de seu irmão Lázaro, e viu a glória de Deus. Imite a Jairo que confiou no filho do carpinteiro de Nazaré e não se decepcionou. Coma do pão da vida e não tenha mais fome (Jo 6:35). Dê a preferência da sua vida para Jesus! Tenha um encontro ou um reencontro com ele e viva (Jo 3:16).

Lembre-se: Nos braços de Cristo encontramos o alívio que só ele nos pode oferecer.

Que ele o abençoe!

Por: Mis. Jailton S. Silva

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições