Evangélico pode receber indenização por ter sido obrigado a assistir filme pornô

Evangélico pede indenização por filme pornográfico

Atualizado: Terça-feira, 4 Setembro de 2012 as 8:04

Um evangélico pode receber uma indenização de R$ 50 mil por ter sido obrigado a assistir a filmes pornográficos e performances de strippers durante seu expediente no trabalho, a Companhia de Bebidas das Américas (Ambev) no Paraná. O valor foi estabelecido por uma decisão judicial divulgada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) nesta segunda-feira (3).

A Justiça entendeu que ele passou por situações constrangedoras e vexatórias, quando o gerente do profissional contratava garotas de programa e as levava para as reuniões. De acordo com o site G1, o objetivo era "motivar" o funcionário e alavancar o cumprimento de metas.

Durante os anos de 2003 e 2004, o homem, que é casado, descreveu que chegou a ser amarrado para assistir aos filmes e às strippers. O gerente oferecia ainda um "vale garota de programa" para os funcionários que atingissem as metas. A Ambev recorreu da decisão e afirmou que valor da indenização foi desproporcional e o dano sofrido pelo empregado teria sido mínimo. 

Em nota enviada ao G1, a empresa afirmou que "prega o respeito e valoriza o trabalho em equipe. A companhia, que conta com mais de 30 mil funcionários do Brasil, não pratica ou tolera qualquer prática indevida com seus funcionários. Casos antigos e pontuais não refletem o dia a dia da empresa. O bom ambiente de trabalho é refletido pelos inúmeros prêmios de gestão de pessoas que a Ambev recebe a cada ano”.

veja também