Evangélicos capixabas sem posicionamento oficial para o segundo turno

Evangélicos capixabas sem posicionamento oficial para o segundo turno

Atualizado: Sexta-feira, 15 Outubro de 2010 as 8:25

O Fórum Político Evangélico do Espírito Santo foi criado com o objetivo de definir uma posição de apoio sobre o segundo turno das eleições presidenciais. Mas o resultado do primeiro encontro foi outro. Com a presença de representantes da coligação de Dilma Roussef (PT) e de José Serra (PSDB) a reunião virou palco de discussões.

Bem que o presidente do Fórum, Lauro Cruz, tentou no início da reunião, realizada na Igreja Batista da Restauração de Jardim da Penha, nesta quinta-feira (14) manter a calma. Ele chegou a fazer uma oração de 10 minutos, pedindo reflexão aos demais. "Queria que a nossa reunião não perdesse o foco no tema religioso. Aqui não estamos lutando contra a carne e o sangue. Não é para lutar contra Dilma ou Serra e nem para partidários". Logo depois o clima não foi celeste.

Nenhum apoio ficou definido porque logo no início o clima esquentou com o primeiro pastor inscrito, Abílio Rodrigues, cobrando coerência do presidente da Associação dos Pastores da Grande Vitória, Enoque Castro. Este disse a imprensa que os evangélicos capixabas estariam fazendo campanha contra a Dilma. "Eu desconheço tal informação porque a Associação não foi consultada pelo Pastor Enoque. Sou contra a manifestação da Associação de Pastores como instituição em relações políticas partidárias".

Ao ES Hoje o pastor Enoque chegou a afirmar que os que apóiam Dilma têm cargos comissionados na prefeitura de Vitória. Sobre isso, Pastor Abílio contestou e disse que não há ataques pessoais. "Quero aproveitar que o Givaldo (Vieira) está aqui, nunca tratamos de política em nossos contatos. Givaldo sempre respeitou meu posicionamento político".

Durante o debate no Fórum pastor Enoque repetiu. Disse ter a consciência tranquila, por não ter cargo político de ninguém e por não receber "pacotinho de dinheiro". "Votei no Casagrande e no Lelo (Coimbra) e já votei no Coser para senador. Votei em candidatos ligados a Dilma, se tivesse intenções partidárias meus votos não seriam esses. Através do Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH), os pastores demonstraram tendência em votar em José Serra, foi apena isso que eu disse. Estou de coração e sem partidos", se defende Enoque.

Carta descreve doze motivos para não votar na petista

Ao final do encontro o presidente do Fórum, Lauro Cruz, leu uma carta descrevendo 12 motivos relevantes para não votar na candidata presidenciável do PT. Com a assinatura de outros três pastores - Enoque de Castro Pereira, Ezequias Soares e Ivan Pereira Bastos - o documento destacou a descriminalização do aborto e falta de valores cristãos/espirituais da petista. "Não votamos em Dilma Roussef por causa de sua história de ateísmo, que descarta os valores cristãos/espirituais, inclusive no que se refere à valorização a vida humana", descreve a carta.

O coordenador da campanha da Dilma no estado, o vice-governador eleito, deputado estadual e presidente estadual do PT Givaldo Vieira participou do encontro e falou em nome do governador eleito Renato Casagrande (PSB). E disse que o socialista acredita que para o sucesso do governo seria muito interessante a vitória de Dilma. "Isso facilitaria muito a relação com os dois governos e criaria para nós uma facilidade muito grande".

Givaldo disse ainda que Dilma é contra o aborto e união homossexual e atribuiu a fonte de boataria contra a candidata, principalmente pela internet, ao vice de José Serra, Índio da Costa. "A nossa candidatura está sofrendo ataques porque o candidato José Serra não aparece e quem faz a parte suja é o seu vice, Índio da Costa, que vem se reunindo com lideranças evangélicas e propagando a tática do medo. Ele diz que a Dilma é a favor do aborto, a favor do homossexualismo, que ela é lésbica e que matou pessoas na época da Ditadura Militar".    

De acordo com o deputado federal eleito, e coordenador da campanha de Serra no estado, César Colnago, assim como Givaldo Vieira, a pluralidade de posicionamentos é natural. E também fez elogios ao seu candidato. "Serra tem clareza em seus valores, e não muda de posição por interesses eleitoreiros ou por conveniências de A e B. Suas propostas estão pautadas na moral cristã", declara.

veja também