Evangélicos e católicos devem dialogar hoje sobre "padroeiro"

Evangélicos e católicos devem dialogar hoje sobre "padroeiro"

Atualizado: Quinta-feira, 11 Novembro de 2010 as 9

A Igreja Católica não deve desistir da criação de um padroeiro para Joinville. Na reunião marcada para hoje, na Mitra Diocesana, o bispo dom Irineu Scherer e os padres que representarão os fiéis católicos no conselho pretendem lutar para que o projeto de lei vetado pelo prefeito Carlito Merss seja aceito pelos evangélicos.

Aprovado na Câmara, o projeto institucionalizaria o Sagrado Coração de Jesus como padroeiro da cidade, abrindo espaço para a criação de uma data de celebração e de um possível santuário.

A reunião de hoje fez com que o bispo cancelasse compromissos fora da cidade. "Não vou desistir assim do padroeiro. Acho que se os evangélicos não acreditam nos nossos símbolos, eles poderiam pelo menos ter uma tolerância religiosa", afirma. Quanto à instituição de Jesus Cristo como símbolo municipal, dom Irineu diz que seria a possibilidade seguinte à do Sagrado Coração. "Mas aí eles também terão que arcar com uma parcela do projeto".

O pastor Gilson Siqueira, presidente do conselho de pastores de Joinville, avisou que há chances de haver uma aceitação do projeto do padroeiro, desde que ele não seja imposto. “Se você tem outra religião, não deveria ser obrigado a aceitar um feriado católico. Ele pode ser celebrado apenas entre os católicos”, diz.

A decisão de quem pode ser o padroeiro de Joinville não deve sair tão cedo, já que a reunião de hoje tem como foco iniciar a criação do conselho entre padres, pastores e vereadores para discutir o assunto. Outros temas serão colocados em pauta, como a Semana da Diversidade, o aumento do uso de crack em Joinville e outros temas considerados morais e éticos pelos religiosos.

veja também