Evangélicos lançam carta aberta contra Dilma

Evangélicos lançam carta aberta contra Dilma

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 7:42

Um grupo de pastores evangélicos lançou uma carta aberta contra a presidenciável Dilma Rousseff e o PT. Com o título de "A graça e a paz do Senhor Jesus", o texto diz que é preciso se posicionar "a favor da família e contra o Partido dos Trabalhadores". Para os evangélicos, existe "uma disputa polarizada entre dois grupos". O primeiro, segundo os religiosos, "representa o desenvolvimento". O outro (o PT) "representa uma ameaça às famílias".

O documento foi entregue ao PSDB, nesta sexta-feira, na Associação dos Fornecedores de Cana, na Imbiribeira, e oficializou o apoio desses grupos à candidatura tucana. O presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra, que estaria representando o candidato à Presidência José Serra, não pode comparecer. O senador paraibano Cícero Lucena (PSDB), então, representou Serra.

"O PT tenta imprimir, a partir de seu partido, leis esdrúxulas que ferem a Constituição e a liberdade das igrejas e seus ofícios religiosos. Quando o estado tentar interferir, a resposta vem do céu", discursou o presidente da Convenção Batista Renovada, pastor Paulo Ortêncio.

Em outro discurso, o presidente do Conselho de Pastores, Pedro Rodrigues, exibiu um exemplar da revista Época de capa “Deus entrou na eleição”, para afirmar que "Deus nunca esteve fora da eleição, porque ele é onipresente".

"Temos que levar panfleto para distribuir na igreja e falar. Por que não devemos ensinar as ovelhas a serem conscientes, votar em bons candidatos? Muitas pessoas são analfabetas, o esclarecimento cabe à igreja", disse o pastor, dando o tom do encontro.

O bispo da Igreja Episcopal Carismática, Paulo Garcia, em um discurso repleto de frases de efeito afirmou: "Estamos sendo incomodados pelo Senhor para sermos profetas. Nunca vi uma eleição congregar pastores das mais diversas igrejas. A igreja tem o papel de denunciar o mal onde ele estiver". Ele completou, dizendo que o atual governo tem demonstrado ser um "pigmeu ético". "O mal será destruído e a vitória será do bem", completou.

Ao prefeito de Jaboatão, Elias Gomes, e ao senador Cícero Lucena coube falar em nome do PSDB. O primeiro centrou o discurso na carreira administrativa de Serra e lembrou que a estabilidade econômica do Brasil foi conquistada no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). "Não há política social mais eficaz do que controlar a inflação e valorizar nossa moeda", frisou. Já o senador disse que é preciso eleger um candidato que "vai ajudar o país a ser justo, solidário e cristão. "Temos que agradecer a Deus a decisão das igrejas de participarem da vida pública", encerrou.

Por Cláudia Eloi

veja também