Evangélicos promovem show próximo a à mina San José

Evangélicos promovem show próximo a à mina San José

Atualizado: Segunda-feira, 30 Agosto de 2010 as 9:37

Um show de músicas evangélicas foi realizado na noite desta sexta-feira, 27, no acampamento próximo à mina San José, onde 33 mineiros permanecem presos. A apresentação reuniu familiares concentrados no pé da montanha há quase um mês.

O pastor Julio Hernán iniciou o espetáculo pedindo uma salva de palmas a Deus. “Quem acredita que Deus irá salvar os 33 mineiros?”, perguntou três vezes. Foi ovacionado. Em seguida vieram as canções do conjunto Mar de Cristal, que é composto por seis integrantes, com bateria, teclado, guitarra e quatro caixas de som. Segundo Hernán, a banda foi convidada pelo prefeito da cidade de Copiapó para tocar aos parentes dos mineiros.

Cerca de 40 pessoas levantavam as mãos e rezavam de olhos fechados. Alguns choravam. Quando a música era animada, todos dançavam. Nos intervalos, a cantora repetia: “Aqui aconteceu um milagre, obrigada Deus” e era muito aplaudida. Das famílias dos 33 mineradores, cinco são evangélicas.

Ao lado do palco, 20 estudantes do curso de Serviço Social da Universidade Santo Tomaz, de Copiapó, realizavam atividades lúdicas com as crianças. No fim da tarde, vestiram-se de Branca de Neve, fadas, palhaços e borboletas. “É impressionante estar aqui”, diz Sebástian Cruz, de 22 anos, que garante nunca esquecer do dia de hoje.

Mini Bíblias O pastor Carlos Diaz, 43, chega ao acampamento Esperanza com uma carga especial de Bíblias em miniatura. Cada livrinho só pode ter até 8 cm de largura.

É essa a medida do diâmetro da maior das sondas que está sendo enviada (por um túnel escavado na montanha) aos 33 mineiros encarcerados desde o dia 5 de agosto a 700 metros de profundidade, na mina San José.

O pastor encomendou uma Bíblia para cada um dos 33, deu-se ao trabalho de usar marcador amarelo fosforescente nas passagens mais importantes (“aquelas em que parece que Deus fala diretamente a respeito das angústias de viver dentro de uma caverna fechada”), e entregou-as ao coordenador de segurança da operação de resgate, Jorge Sanhueza, gerente de Sustentabilidade da estatal do cobre do Chile.

Ele encaminhará terra adentro, até os mineiros, as “palavras divinas”.

As imagens divulgadas, feitas dentro da caverna em que os 33 mineiros estão presos, mostraram-os com os olhos brilhantes, sofridos, barbados, enfraquecidos, magros, despojados de tudo -até da luz física. “Quase santos.”

“Jesus também teve seu retiro de iluminação espiritual dentro de uma caverna”, lembra Diaz, capelão da Igreja Adventista do Sétimo Dia. O Chile usa só uma palavra para se referir à sobrevivência de todos os 33 mineiros desaparecidos no dia 5 (e sem nenhum ferimento, diga-se): “milagre”. E o número 33 apareceu com um signo de bem-aventurança: era essa a idade de Cristo ao cumprir seu desígnio divino.

Notou-se que o número 33 também apareceu no total de letras da primeira mensagem enviada à superfície pelos soterrados, no dia 22: “Estamos bien en el refúgio, los 33&S243;.

veja também