Evangelistas pregam com megafone no Maracanã

Evangelistas pregam com megafone no Maracanã

Atualizado: Segunda-feira, 19 Abril de 2010 as 12

Nildo Ricardo e o amigo Victor Hugo, ambos com 14 anos, esbanjavam confiança em frente à estátua de Belini, do lado de fora do Maracanã. Flamenguistas, os dois não conseguiram ingresso para ver a final da Taça Rio contra o Botafogo, neste domingo, mas ainda esperavam conseguir uma entrada barata para o segundo tempo.

Mesmo quando todas as atenções estavam voltadas para as quatro linhas, o entorno do maior templo do futebol brasileiro continuou cheio. Eram vendedores ambulantes, flanelinhas, cambistas, policiais com seus cavalos e seus cães. No entanto, a maioria é formada por torcedores como Nildo e Victor, que não se importavam em perder o primeiro tempo se pudessem pagar menos do que os R$ 30 cobrados nas bilheterias.

O Botafogo vencia por um a zero, quando um grito uníssono veio do Maracanã. Mesmo sem auxílio de rádio, Nildo não olhou para trás para confirmar: "aí, é do Mengão, não falei? Eu sei que vamos ganhar, todo o ano é assim".

Nildo demonstrou ser melhor ao manter a calma do que ao prever o futuro. Logo ao lado da entrada, um grupo aproveitava a reunião para falar de coisas que nada tinham a ver com o futebol. "Jesus te ama, ele veio te salvar", gritava o evangelista Carlos Alexandre em um dos megafones da sua igreja. "Sem ofender as pessoas, viemos anunciar a palavra de Deus. Meu time é de Jesus, não perde para ninguém", explicava Márcio Cunha, outro evangelista do grupo, enquanto os torcedores se reaproximavam do portão de entrada. Era final do primeiro tempo.

Alheios à movimentação, os amigos Jeiber Camargo e Alana Souza passeavam em volta do estádio. "Vim mostrar o Maracanã para ela. Ela é baiana", explicou Jeiber. Segundo ele, os dois preferiam tirar foto do lado de fora ao invés de pagar o preço dos ingressos. "Prefiro juntar dinheiro para os jogos da Libertadores", afirmou ele.

Passeando de bicicleta, o flamenguista Edno Barbosa Pulga, nem sabia que seu time estava perdendo por 2 a 1. Tudo o que Edno queria era desfilar com a sua cadelinha, a também flamenguista Pulguinha. Ele era só sorrisos. Mas quem acabou rindo por último dessa vez foi a torcida localizada do outro lado do estádio.

Dezenas de integrantes da Torcida Jovem do Botafogo, que não conseguiram entrar no estádio nem no segundo tempo, aguardaram seus companheiros descer a rampa para comemorar o título juntos. As expressões de quem vinha de dentro do estádio trazia notícias de uma final eletrizante.

"Mas foi pênalti mesmo?", perguntou o botafoguense Cláudio Barbosa para o primeiro grupo que ele enxergou na saída. "Não importa. O Jefferson pegou. É campeão!", exclamou o torcedor.

Por Luís Bulcão Pinheiro

Via GUIAME.com.br

Postado por Adriana Amorim

veja também