Ex-bruxo incentiva igrejas a não celebrarem, mas evangelizarem no Halloween

John Ramirez refutou a ideia de igrejas que realizam eventos "alternativos", inspirados de alguma forma pela ocasião.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Quarta-feira, 30 Outubro de 2019 as 10:58

John Ramirez foi considerado um bruxo de grande autoridade nos EUA, mas hoje é um evangelista. (Foto: CBN News)
John Ramirez foi considerado um bruxo de grande autoridade nos EUA, mas hoje é um evangelista. (Foto: CBN News)

Com a proximidade do Halloween, que é celebrado por muitos nesta quinta-feira (31), em diversas partes do mundo, algumas igrejas acabam aderindo ao costume ou realizam eventos "alternativos", inspirados de alguma forma pela ocasião. Por isso, quando se trata de celebrar o Halloween, há um crescente debate dentro da igreja sobre se há problema ou não dos cristãos celebrarem festividade ou não.

No episódio desta semana do programa da agência cristã de comunicação CBN News, 'Prayer Link', o ex-bruxo, que já foi considerado um 'sumo sacerdote satânico', John Ramirez, compartilhou algumas das coisas que ele praticou no Halloween, incluindo um casamento demoníaco.

"Sacrifícios de animais, rituais e muitas pessoas que eram adoradoras de demônios, médiuns, bruxos e bruxas vieram ao meu casamento porque eles foram capazes de canalizar demônios e principados através de seus corpos para batizar e 'abençoar' meu casamento", explicou Ramirez.

O ex-satanista (que hoje se dedica a pregar o Evangelho) também refutou a ideia de que "não há mal nenhum em cristãos celebrarem o Halloween".

"Como é que vamos estar em um lugar para saudar e honrar o diabo quando outubro é o mês da bruxaria? Eu vivi isso por 25 anos", disse Ramirez. "Eu pratiquei isso por 25 anos. Então, você sai do seu lugar, mesmo sem nunca ter acendido uma vela, sacrificado animais, bebido sangue de animais... sem nunca ter se assentado com o diabo e vem me dizer que Halloween é bom? Eu acho que você vive uma ilusão como crente".

Ramirez também se opõe a igrejas que celebram 'eventos alternativos' ao Halloween, incluindo festivais de colheita. Ele encoraja os cristãos a usarem o dia para se concentrarem no evangelismo e na oração.

"Se eu fosse o pastor de alguma dessas igrejas, faria algo para atrair as pessoas, faria talvez uma produção que atraísse pessoas, para mostrar o gráfico e a grosseria do lado sombrio do Halloween, depois mostrar a redenção de Jesus Cristo e então faria um apelo, um convite ao altar", disse ele.

"Mas por que eu traria doces e abóboras para a igreja?", ele acrescentou. "Você também pode dizer ao diabo para entrar e se juntar a você. É isso que você está fazendo. Você está convidando o diabo para sua igreja. Você está convidando o diabo para participar de sua congregação, seu rebanho, seus filhos".

"Eu não me importo se você está vestindo seus filhos como Noé ou Abraão, você está mudando a identidade deles, porque é a corda que o liga ao inimigo que você está comemorando de alguma forma. Mas indiretamente você está comemorando algo que é tão demoníaco que não pode colocar um dedo nele", explicou Ramirez.

veja também