Ex-jogadores brasileiros evangelizam presidiários na Ucrânia: "Deus abriu portas"

A visita dos ex-atletas fez com que novas portas fossem abertas para evangelismo e missões no país.

fonte: Guiame, com informações da Junta de Missões Mundiais

Atualizado: Quarta-feira, 19 Julho de 2017 as 10:28

A mídia local da Ucrânia destacou o testemunho de vida do ex-jogador Diogo Rincón. (Foto: Reprodução).
A mídia local da Ucrânia destacou o testemunho de vida do ex-jogador Diogo Rincón. (Foto: Reprodução).

O país do futebol já exportou muitos jogadores para outras nações, dentre elas a Ucrânia. São vários os atletas que deixaram o Brasil para atuar na região da Europa Oriental. É o exemplo de Diogo Rincón, que jogou de 2002 a 2007 no Dínamo de Kiev. O ex-esportista do Internacional e do Corinthians, foi o primeiro jogador nacional a atuar no futebol ucraniano.

Em uma recente visita à Ucrânia, ele e outros atletas brasileiros foram destaque na imprensa local não apenas pela carreira brilhante, mas pelo testemunho que deram sobre o poder transformador do Evangelho. A visita faz parte de um projeto de missionários ucranianos ligados a Junta de Missões Mundiais, Anatoliy Shmilikhovskyy e Lyubomyr Matveyev.

“Recebemos um time de cristãos, ex-jogadores profissionais de futebol e alguns que ainda estão jogando. Se eu falar que o trabalho deles aqui na Ucrânia foi impactante, é dizer nada, pois através desse projeto, Deus mexeu com as igrejas locais, impactou a liderança evangélica nacional e abriu portas até então totalmente fechadas para a pregação do Evangelho”, relata Anatoliy.

Diversos meios de comunicação tentaram entrevistas com Diogo Rincón. Os missionários disseram que se surpreenderam de haver um destaque para o testemunho do jogador em reportagens divulgadas pela mídia. Em seu depoimento, ele disse: “Na minha primeira passagem pela Ucrânia, eu fui servido, agora eu vim para servir. Primeiro, eu vim sozinho, agora voltei com Jesus”.

O jogador continuou: “No primeiro momento, eu ganhei fama, prestígio e prêmios, mas meu coração estava vazio. Hoje eu voltei com Jesus no coração, ele transformou a minha vida”, ressaltou.

Oração pública

O missionário Anatoliy comenta: “O auge foi quando a Federação de Futebol da Ucrânia convidou o time brasileiro, e Diogo teve a palavra. Na presença do vice-presidente e dos de comunicação, pela primeira vez naquele local foi feita uma oração pública. Eu fui impactado quando vi todo mundo abraçado no ‘santo dos santos’ do futebol ucraniano orando e pedindo ao nosso bom Deus por sua misericórdia e pela graça de Cristo”, disse.

Outras ações evangelísticas foram realizadas durante a passagem do grupo pela Ucrânia, como “clínicas de futebol” para o público infantil nas cidades de Irpin, próximo à capital, Kiev, e também em Lviv, oeste do país. O responsável por essas atividades foi o missionário Lyubomyr. Cada clínica era composta por duas partes: prática e pregação dos valores bíblicos.

Outra forma de impactar as vidas foram os jogos amistosos e torneios dos quais o time brasileiro participou. “Foi muito marcante o jogo em um presídio. Embora o nível de futebol dos presos fosse bem simples, o testemunho do Diogo foi muito marcante. Depois disso, Deus abriu a porta de cinco penitenciárias para futura pregação do Evangelho”, relatou Anatoliy.

Outro ponto marcante foi o jogo contra o quartel do exército do presidente da Ucrânia, principalmente em um momento em que o país vive um conflito contra a Rússia. “A oração no estádio pela paz foi muito marcante. A mídia nacional não ficou ao lado do projeto”, pontuou Anatoliy. Já em Lviv, os brasileiros participaram de um torneio de futebol amador, e todos os jogadores foram convidados para um culto, onde cerca de 400 pessoas, a maioria jovens, foram impactadas.

veja também