Ex-morador de rua testemunha trabalho da Igreja Metodista exibido no Jornal Nacional

Ex-morador de rua testemunha trabalho da Igreja Metodista exibido no Jornal Nacional

Atualizado: Sexta-feira, 29 Maio de 2009 as 12

Nesta quarta-feira, dia 27 de maio, o Jornal Nacional (noticiário da Rede Globo de Televisão), exibiu uma reportagem com a Comunidade Metodista do Povo de Rua, como parte de uma série de reportagens sobre instituições sociais mantidas por igrejas evangélicas.  O repórter do telejornal entrevistou moradores de rua assistidos pela Comunidade, o pastor Marcos Garcia, da Catedral Metodista de São Paulo, igreja responsável pelo trabalho, Luis Wilson Pereira, coordenador, e Antônio José de Souza, destaque da matéria de capa do jornal Expositor Cristão em julho de 2007. Leia abaixo o relato de Antônio, publicado em 2007. Ele agradecia, na ocasião, pelas conquistas em sua vida. Outras mais vieram.  Hoje ele está casado, empregado, e é pai de uma linda menina.

Os resultados do trabalho

Quem trabalha com população de rua não pode depositar sua esperança em resultados imediatos ou mesmo visíveis: o fluxo de pessoas na Comunidade Metodista do Povo de Rua é intenso e poucas pessoas, mesmo entre as que conseguem sair das ruas, mandam notícias. Ainda assim, o projeto registrou, só no ano passado, 410 pessoas que retornaram às suas famílias e 402 que conseguiram colocação profissional. Mas os números não são capazes de emocionar tanto os funcionários da Comunidade Metodista do Povo de Rua como o seguinte depoimento que eles compartilham, em grande alegria, com os leitores do Expositor Cristão.

"No dia sete de junho completou um mês que cheguei à Comunidade Metodista do Povo de Rua. Antes de chegar eu não tinha mais esperança de ter uma nova vida. Estava infeliz, angustiado, sem motivo para sonhar, totalmente sozinho, desempregado, sem documentos, sem lar, sem uma família, sem saúde, sem Deus na vida, sem vontade de viver... sem saber o que fazer, apenas caminhei até a Comunidade onde encontrei pessoas que me trataram , não mais como um morador de rua, mas com carinho, respeito, independentemente da situação em queme encontrava: cabelo grande, barba por fazer, maltratado, roupa suja, e mesmo assim fui tratado como um ser humano e me deram uma nova chance de mudar, de buscar meus sonhos.

Foi mostrado para mim que Deus existe e que nós nunca devemos nos entregar às dificuldades.

Recebi um livro, No Cenáculo. Lendo e estudando, aprendi como sair da angústia, da tristeza, do desânimo... aprendi a agradecer a Deus o pão de cada dia, a encarar a vida de cabeça erguida. Hoje, com fé, tenho andado nos caminhos de Deus meu Senhor. Cada dia é uma nova realidade!!!

Hoje já tenho meus documentos, e muitas outras conquistas ainda virão...

Agradeço aos coordenadores, às assistentes sociais, aos funcionários e também à Catedral Metodista por este belo trabalho nos dando uma chance de vida. Que Deus ilumine seus caminhos, que nunca falte amor nas suas vidas".

veja também