Ex-muçulmano enfrenta perseguição mas permanece crendo em Jesus

Ex-muçulmano enfrenta perseguição mas permanece crendo em Jesus

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2011 as 9:53

"Por isso, eu vos digo: todo pecado e toda blasfêmia serão perdoados; mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada." (Mateus 12.31 – 32). Foi com esse versículo bíblico que o bispo Luís Valente, responsável pelo trabalho da Igreja Universal do Reino de Deus no Senegal, deu início a reunião do Encontro com Deus, que acontece todos os domingos, às 09h30, no Cenáculo da Fé, em Dakar. “Todos nós devemos ter o Espírito Santo para testemunhar que somos filhos de Deus, pois é Ele quem nos fortalece nos momentos de tentações e perseguições. Quando uma pessoa tem o Espírito de Deus, ninguém pode lhe destruir", explicou, ressaltando que todas as pessoas são livres para acreditar ou não, tendo em conta o grande número de seguidores do Islamismo no país, muitos religiosos resistem a crer na existência do Espírito Santo.

O bispo também esclareceu que, para alcançar o batismo, é preciso que a pessoa busque a Deus em espírito e em verdade: "Você deve entregar-se ao Senhor Jesus de todo o coração, abandonando os maus caminhos e vivendo baseado nos ensinamentos bíblicos, pois o batismo com o Espírito Santo pode garantir a salvação da sua alma.”

Salvação que o senegalês Adama Yatte (foto ao lado) alcançou quando decidiu deixar a religiosidade e entregar-se 100% ao Deus que conheceu na Igreja Universal.

Adama relata que era um muçulmano ativo, exercia o cargo de auxiliar responsável pela mesquita na cidade de Dakar, mas apesar da dedicação, não via resultados positivos na vida dele. “Como tinha um conhecimento profundo do alcorão, eu realizava orações na mesquita. Mas durante três anos, eu fui vítima de uma hipertensão arterial e minha esposa também tinha problemas de saúde”, lembra.

Por causa das doenças, o casal tornou-se dependente de vários remédios, tomando comprimidos pela manhã, à tarde e à noite. “Nós já estávamos cansados de viver à base de medicamentos, mas o médico me respondeu que deveriamos tomar remédios até o fim das nossas vidas", comenta. Em virtude dos altos gastos com os medicamentos, a família teve que se desfazer de um armazém, ficando até sem dinheiro para comprar comida.

Porém, certo dia, ele ouviu um depoimento de uma pessoa que havia sido curada, após participar de uma reunião na Igreja e também decidiu usar a fé em Jesus. “Durante o programa de rádio, o pastor pediu às pessoas que colocassem ao lado do aparelho um copo com água. Assim eu fiz e quando bebi da água consagrada, senti algo que jamais havia sentido antes, foi como se um peso tivesse saído de cima de mim. Ainda, minha esposa insistia que ela queria morrer no interior, que não queria morrer em Dakar. Eu dizia para ela, vamos à Igreja para receber a oração e sermos curados. Foi muito difícil para ela aceitar, pois não acreditava mais em nada, tão pouco, em pessoas que oravam pela cura, pois nós nascemos em uma família muçulmana e jamais poderíamos aceitar orações de uma Igreja”, destaca.

Quando chegou à Igreja Universal, o casal relutou em aceitar as orações com imposição de mãos e de pronunciar o nome de Jesus, mas o desejo pela cura foi mais forte. “Após a oração, minha esposa e eu deixamos de sentir dores. Espantados com tudo o que acabava de acontecer conosco, dias depois, voltamos ao hospital para reavaliar o nosso estado de saúde e o poder de Deus foi constatado: os exames mostraram que estávamos curados. Alcançar a cura, depois de uma oração feita em nome de Jesus, para mim era impossível de acreditar, mas aconteceu", comemora.

Desde então, Adama e a esposa passaram a servir a Jesus e também a sofrerem perseguições da própria família, que não aceitava a decisão do casal de se converter ao cristianismo. “Não foi fácil continuar até hoje na Igreja, pois todos me abandonaram, até os entes mais próximos. No início, ninguém queria me ouvir e nem falar comigo. Hoje, pela graça de Deus eles já compreendem a minha fé e quando estão doentes até pedem oração e eu oro por eles, em nome de Jesus", finaliza Adama Yatte, feliz pela  nova vida conquistada.  

veja também