Explicar a Trindade é difícil, mas entender o sentimento que a permeia não

O tipo de relação que permeia a Trindade

Atualizado: Segunda-feira, 4 Março de 2013 as 12:19

Trindade _ TriunidadeLeitura Bíblica: Lucas 3.21-22

 
Eu e o Pai somos um (Jo 10.30).
 
Já viu um pai coruja?! É o que admira e exalta as qualidades do filho, para quem pequenas ou grandes conquistas são sempre celebradas como grandiosas. É bom ser elogiado pelo pai ou pelos pais, e saber que somos motivo de orgulho, alegria e prazer para alguém. É bom saber que somos amados, não é?
 
O evangelho de Lucas narra um momento desses em que Deus se revela como um pai orgulhoso e feliz por seu Filho Jesus. Tudo começa a acontecer no momento em que Jesus, junto com outros, está sendo batizado. Mas ao orar, o próprio Espírito Santo vem até Jesus na forma de uma pomba. Um momento singular, em que o Deus triúno (Pai, Filho e Espírito Santo) se reúne para marcar o início do ministério terreno de Jesus. Nesse momento, o Pai solta um elogio ao Filho: “Você é o meu filho a quem amo e em quem eu tenho prazer”. E o texto continua dizendo que Jesus tinha 30 anos quando teve essa experiência com o Pai, ao iniciar seu ministério.
 
É complicado tentar explicar a Trindade – a existência de um único Deus que se manifesta em três pessoas. Porém, não é nada complicado ver o tipo de relação que permeia a Trindade: amor, incentivo, palavras doces e prazer, entre outras.
 
Mais do que dar explicações teológicas Jesus simplesmente nos remete ao Pai pela ação do Espírito Santo, dando?nos a chance de espelharmos nossos relacionamentos no dele(s).
 
Mais do que discutir doutrinas, Jesus convida seus seguidores a trazer para dentro de suas vidas e relacionamentos o mesmo padrão que ele desfruta com o Pai e o Espírito Santo.
 
E mais, somos convidados a desfrutar da mesma intimidade, da mesma proximidade, da mesma comunhão com Deus. Tal como o filho a quem o pai ama e que lhe dá prazer e alegria, nós também podemos desfrutar do amor de Deus, dando?lhe prazer e alegria ao vivermos a vida com base em um relacionamento amoroso com Ele e com nossos semelhantes. – WMJ
 

veja também