Extremistas atacam seminário bíblico e matam cinco crianças, no Sudão do Sul

O ataque deixou 10 mortos, sendo cinco crianças, três guardas e um pai e filho.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Segunda-feira, 21 Maio de 2018 as 11:54

A diretoria da faculdade reportou o incidente às autoridades. (Foto: Reprodução).
A diretoria da faculdade reportou o incidente às autoridades. (Foto: Reprodução).

A Faculdade Cristã Emanuel (ECC - sigla em inglês) sofreu um ataque de extremistas. A ação causou pelo menos 10 mortes, deixando cinco crianças mortas. Uma adolescente de 14 anos, que sobreviveu ao ataque foi violentada pelos agressores. Ela era filha de um funcionário.

O ataque foi em Goli, no Sudão do Sul. Além das crianças, três guardas e um pai e filho também foram mortos. A família era refugiada de Mundri. O ataque aconteceu segunda-feira (14).

Escritório, salas de aula e casas foram vandalizadas e saqueadas. A diretoria da faculdade reportou o incidente às autoridades e está ajudando-os sobre os próximos passos.

Foi as organizações Portas Abertas que construiu a Faculdade Cristã Emanuel em 2001, uma instituição de treinamento que contou com a parceria da Igreja Evangélica Presbiteriana do Sudão.

O projeto tem a missão de promover o treinamento em teologia para ministérios da igreja, além de oferecer desenvolvimento comunitário para pessoas de todas as denominações. Agora, Portas Abertas está passando a posse da faculdade para a igreja local, com o fim da guerra e com a divisão do país em 2011.

JP Pretorius, diretor regional da Portas Abertas na África Subsaariana, disse em resposta ao ataque: “É, de fato, um triste dia quando pessoas inocentes são atacadas em uma instituição que é reconhecida internacionalmente por expandir o Evangelho num contexto etnicamente diversificado”.

Ele ainda acrescentou: “Convocamos a comunidade cristã internacional a orar pelos funcionários da ECC e pela igreja no Sudão do Sul”.

veja também