Extremistas matam professor cristão na Somália

Extremistas matam professor cristão na Somália

Atualizado: Terça-feira, 12 Agosto de 2008 as 12

Extremistas islâmicos atiraram e mataram o professor e ex-muçulmano convertido ao cristianismo Sayid Ali Sheik Luqman Hussein, de 28 anos, no último dia 10 de julho, em Afgyoye, na Somália.

De acordo com a Internacional Christian Concern (ICC), no dia 8 de julho, dois homens muçulmanos perguntaram a Sayid Hussein se ele dirigia-se a Meca quando rezava. Segundo o islamismo, Maomé ensinou que os muçulmanos deveriam voltar-se para a cidade de Meca sempre que fizessem suas orações. Sayid respondeu que sendo ele um cristão não tinha que se voltar para uma direção específica na hora de orar porque Deus é onipresente. Dois dias depois os homens voltaram armados com um rifle AK-47 e uma arma semi-automática e atiraram em Sayid Hussein. 

Ao saber da notícia, a esposa do cristão, que estava grávida, entrou em trabalho de parto prematuro e acabou perdendo o bebê.

Sayid Hussein converteu-se ao cristianismo em 2004 e começou a evangelizar a comunidade em que trabalhava como professor. O pastor de Sayid o descreveu como o evangelista mais ativo e efetivo na região.

Recentemente, extremistas islâmicos intensificaram os ataques contra cristãos na Somália. Nos últimos nove meses, cinco cristãos foram mortos por causa de sua fé. Os demais mortos são: David Abdulwahab Mohamed Ali, Da"ud Ali, Mohamed Yusuf e Hassan Mo"alim.

veja também