Extremistas matam professor cristão

Extremistas matam professor cristão

Atualizado: Segunda-feira, 11 Agosto de 2008 as 12

Extremistas islâmicos atiraram e mataram um ex-muçulmano convertido ao cristianismo no último dia 10 de julho, em Afgyoye, na Somália. O nome da vítima era Sayid Ali Sheik Luqman Hussein e ele tinha 28 anos.

De acordo com a Internacional Christian Concern (ICC), no dia 8 de julho, dois homens muçulmanos chegaram até Sayid Hussein e lhe perguntaram se ele se dirigia para Meca quando rezava (Maomé ensinou que os seguidores dele deveriam se voltar para a cidade de Meca sempre que fizessem suas rezas).

O rapaz lhes falou que, como era cristão, não tinha que se voltar para uma direção específica na hora de orar porque Deus é onipresente.

Dois dias depois os homens voltaram, desta vez, armados com um rifle AK-47 e uma arma semi-automática e atiraram em Sayid Hussein até a morte.

Ao saber da notícia, a esposa do cristão, grávida, entrou em trabalho de parto prematuro e acabou perdendo o bebê.

Vida frutífera

Sayid Hussein entregou sua vida a Cristo em 2004. Ele cresceu na fé e começou a evangelizar na comunidade onde trabalhava como professor. O pastor dele o descreveu como o evangelista mais ativo e efetivo na região.

Um dos alunos dele disse que Sayid foi o homem mais religioso que ele encontrou na vida.

Recentemente, extremistas islâmicos intensificaram os ataques contra cristãos na Somália. Nos últimos nove meses, cinco cristãos foram mortos por causa de sua fé. Os demais mortos são: David Abdulwahab Mohamed Ali, Da"ud Ali, Mohamed Yusuf e Hassan Mo"alim.

"Os somalis estão pagando o preço pela fé deles em Jesus Cristo. Apesar da perseguição, eles escolheram confiar em Deus e no Senhor Jesus Cristo ao ponto de morrerem. Por favor, orem e apóiem nossos irmãos somalis”, disse Jonathan Racho, da ICC para a África.

veja também