Família cristã é esfaqueada em casa por grupo armado, no Iraque

Cerca de oito igrejas foram fechadas por conta da violência contra a comunidade cristã, em Bagdá.

fonte: Guiame, com informações do Christian Headlines

Atualizado: Terça-feira, 13 Março de 2018 as 12:06

Os homens invadiram a casa e mataram um médico cristão, sua esposa e sua mãe, uma mulher idosa. (Foto: Reprodução).
Os homens invadiram a casa e mataram um médico cristão, sua esposa e sua mãe, uma mulher idosa. (Foto: Reprodução).

A International Christian Concern (ICC) informou sobre mais um ataque a cristãos em Bagda, no último sábado (9). Uma família foi encontrada morta em sua casa. A investigação mostrou que eles foram esfaqueados na sexta-feira por um grupo armado. Eles tiveram objetos de valor roubados.

As vítimas são o Dr. Hisham Shafiq al-Maskuni, sua esposa Shaza Malik e sua mãe idosa, Khairiya Dawood.

Este não é uma ataque isolado. As investidas contra à comunidade cristã do Iraque já fizeram com que milhares deixassem suas casas. Em particular, os ataques aos cristãos em Bagdá já levaram tantos a fugir que no verão passado oito igrejas fecharam suas portas.

Um médico que trabalhou no mesmo hospital que o Dr. Hisham Shafiq contou à ICC com lágrimas: "Não posso acreditar que ele faleceu de uma maneira tão terrível. Ouvi de Hisham sobre izer como as pessoas de seu bairro estavam sendo rudes com ele”, diz.

Violência

Este é o segundo ataque contra os cristãos em três semanas. Ambos ocorreram no mesmo bairro de Bagdá. Um porta-voz do Ministério do Interior do Iraque diz que os indivíduos responsáveis ​​pelas mortes do Dr. Hisham Shafiq e sua família foram presos na noite do dia 10 de março.

Um cristão local disse: "Este ataque significa que não há lugar aqui para os cristãos. Nós somos vistos como um cordeiro para ser abatido a qualquer momento". Ele também compartilhou sua preocupação de que "estes são os sinais do início de um novo plano para forçar a população cristã a sair de suas casas e irem para fora do país".

Outros cristãos em Bagdá apoiaram essa preocupação. "Como cristão, a vida é boa desde que você não tenha inimigos", disse um residente. "Você também não deve chamar a atenção para si mesmo. Eu me sinto deprimido por causa do que aconteceu com Hisham e sua família, mesmo que tenha acontecido tantas vezes desde 2003, mas ainda me deixa triste".

Imigração cristã

Um ex-residente de Bagdá disse à ICC: "A imigração cristã passou por três etapas principais. O primeiro foi de 2005 a 2007, o segundo foi em 2010, quando alguns extremistas atacaram uma igreja durante a reunião dominical e a terceira fase foi em 2014 quando o Estado Islâmico atacou a planície de Nínive.

Claire Evans, Gerente Regional da ICC, disse: "O assassinato do Dr. Hisham Shafiq e sua família é uma tragédia que envia uma mensagem mortal a outros cristãos em Bagdá. A de que eles não estão seguros, mesmo em suas próprias casas. Os extremistas observam os cristãos como indefesos e, portanto, objetivos fáceis para uma grande variedade de crimes”, colocou.

“Como resultado, a perseguição que os cristãos iraquianos enfrentaram na última década tem sido monumentalmente dolorosa. Nossas orações estão com os membros da família sobreviventes durante este momento difícil", finalizou.

veja também