Fiéis protestam contra afastamento de padre de igreja na Baixada

Fiéis protestam contra afastamento de padre de igreja na Baixada

Atualizado: Quarta-feira, 1 Setembro de 2010 as 9:10

Um grupo de fiéis da igreja católica Nossa Senhora da Glória, em Jardim Meriti, São João de Meriti, protestou ontem contra o afastamento do padre Claudinei Souza da Silva, 39 anos, que administrava a paróquia desde janeiro de 2009. Para os manifestantes, a decisão do bispo da Diocese de Duque de Caxias, Dom José Francisco Rezende Dias, atendeu a apelos de um grupo ligado ao coral e a pastorais da catequese e do batismo, insatisfeitos com a perda de regalias. O líder religioso será substituído pelo padre Mauro Ricardo de Freitas, que rezará sua primeira missa no domingo. Segundo os manifestantes, Claudinei ganhou a antipatia do grupo após proibir a exploração comercial na igreja e deixou de usar os serviços de membros da igreja, passando a fazer licitações para a contratação de obras. Para Sônia Maria Ribeiro, 57 anos, da Santíssima Trindade, uma das líderes da manifestação, Claudinei “foi afastado injustamente” porque contrariou interesses. “Ele fazia um trabalho sério, unindo a comunidade em torno de Deus. Um grupo que se sentia dono da igreja faltou com o respeito e fez deboche”. Manifestantes exibiram faixas com dizeres como “A paróquia não precisa de padre, já tem donos para pregar, cantar e fofocar”, “Mentiu, Dom José Francisco não respeita a Assembléia e nem o Conselho da Comunidade” e “O mal prevalece ao bem. Que católicos somos nós?”. Integrante da Pastoral da Catequese, Márcia Araújo se limitou a comentar a manifestação. “Se não estão satisfeitos, estão certos em protestar. Mas, o afastamento do padre foi uma decisão pessoal do bispo”, afirmou. Outras pessoas acusadas pelos fiéis de interferir na transferência do padre se recusaram a falar sobre o assunto. Manifestação domingo Outro protesto foi feito no último domingo, em frente à igreja durante missa das 19h, celebrada pelo vigário geral da Diocese, padre Renato Gentile. Claudinei rezara missa às 7h30, quando leu o comunicado de seu afastamento assinado pelo bispo: “Tive que pedir um sacrifício ao padre Claudinei. Pedi que ele deixe a administração pastoral da Paróquia Nossa Senhora da Glória. Ele acolheu o pedido”, escreveu. Terceiro padre em três anos Foi o terceiro afastamento de um padre daquela paróquia da Baixada, nos últimos três anos. Antes, já tinham ocupado o posto os padres Benedito Zanoibia e Geraldo da Silva Bernardes. “Bastou meia dúzia de pessoas insatisfeitas e lá se foi mais um religioso. Eu gostaria de saber quem de fato manda na igreja, embora já estejamos carecas de saber que nesta aqui meia dúzia de pessoas é que manipulam tudo”, se queixa Zulmira Moutinho Alas, 73. Padre há 12 anos, o paranaense Claudinei atua desde segunda-feira na administração na Casa Santa Maria, em Caxias. Procurado, ele limitou-se a dizer que “o bispo tem autoridade para pedir a paróquia quando achar necessário” e pediu que fiéis recebam bem o novo padre.

veja também