Força Aérea dispensa reclamações de ateus e mantém orações em eventos militares, nos EUA

A Base Aérea de New Hampshire (EUA) disse que irá continuar a incluir orações em suas cerimônias militares e que os soldados têm direito a exercer sua fé.

fonte: Guiame, com informações do Charisma News

Atualizado: Quarta-feira, 22 Março de 2017 as 10:17

Militar dos EUA segura Bíblia nas mãos. (Foto: Military.com)
Militar dos EUA segura Bíblia nas mãos. (Foto: Military.com)

Após a queixa do grupo ateísta "Freedom From Religion Foundation" ("Fundação Liberdade da Religião") - conhecida pela sigla 'FFRF' - e um apelo subsequente em nome da "Aliança de Capelães" pelo direito à liberdade religiosa, a Base Aérea Nacional de New Hampshire anunciou que continuará com sua programação tradicional, o que incluindo a orações durante as cerimônias militares.

Greg Heilshorn, o porta-voz da Guarda Nacional de New Hampshire, fez a seguinte declaração sobre a queixa da organização ateísta:

"Nós não temos planos de responder à FFRF e não tivemos queixas formais de nossos soldados internamente sobre quaisquer preocupações com as orações que estão sendo feitas em várias cerimônias. Continuaremos a fazer como sempre fizemos, é nossa tradição".

O porta-voz acrescentou que os capelães são uma "parte vital" da organização da Base Aérea Nacional de New Hampshire.

"Estamos muito satisfeitos por ver a Guarda Nacional de New Hampshire fazer a coisa certa e continuar a sua tradição, como a lei permite claramente", disse Mike Berry, primeiro advogado do Instituto 'Liberty'. "É perfeitamente constitucional fazer orações em eventos militares e os membros do serviço militar têm todo o direito de exercer sua fé sob a Primeira Emenda".

Na carta elaborada pelo Instituto 'First Liberty' e enviada ao comandante da base da Base da Guarda Nacional, em nome da Aliança de Capelães, a organização explica como a lei permite que os capelães façam orações em eventos militares.

"Nós recomendamos que a Base Aérea de Pease [New Hampshire] se mantenha forte e continue com sua tradição", disse o Diretor Executivo da Ala dos Capelães, Ron Crews. "Os capelães e os membros do serviço têm o direito de exercer livremente suas crenças religiosas, sem medo de represálias".

veja também