Força Jovem e artistas da Record fazem partida de futebol beneficente

Força Jovem e artistas da Record fazem partida de futebol beneficente

Atualizado: Terça-feira, 27 Setembro de 2011 as 9:39

O Força Jovem Brasil, da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), promoveu, na tarde deste sábado (24), no estádio do Pacaembu, zona oeste da capital paulista, uma partida de futebol beneficente e de conscientização contra as drogas. O evento "Driblando o crack" contou com a participação de artistas da Rede Record e autoridades políticas.

De um lado estava o time "Amigos do apresentador Britto Jr.", formado por famosos como Edu Guedes, Celso Zucatelli, Mionzinho, Marquito, Dinei, Felipe Solari, Netinho e o próprio apresentador. Do outro, o time do Força Jovem, que venceu a partida por 7 a 3.

Trinta mil pessoas lotaram o estádio. Para entrar, cada participante doou 3 quilos de alimentos não perecíveis. Foram arrecadadas 90 toneladas de donativos, que serão entregues à comunidades carentes e a mais de 30 orfanatos, asilos, casas de recuperação de dependentes químicos e abrigos de portadores do HIV (vírus da Aids), locais em que grupos de voluntários da IURD realizam projetos de apoio aos necessitados.(Veja galeria de fotos)

Apesar da derrota em campo, o ambiente foi de alegria e satisfação entre os artistas do time de Britto Jr.: " Craque, só dentro do campo", disse ele. "É uma luta que a gente tem que fazer sempre. Instruir o nosso jovem para o melhor", completou Edu Guedes.

O humorista Tom Cavalcante e o jornalista Celso Cavalini, embora não tenham jogado, fizeram questão de marcar presença no evento. Entre as autoridades, o destaque foi para o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que  parabenizou a iniciativa do grupo. "O crack é uma droga que deve ser combatida, e ações como essas são muito importantes", ressaltou ele.

"Este evento é muito legal. Nós podemos contribuir. Não somos atletas e nem jogadores, mas procuramos fazer o possível e o impossível para ajudar essa juventude. Aliás, quando vinha pra cá, vi jovens caídos se drogando, se arrastando, e do outro lado vemos esta festa linda, feita pelos jovens com saúde, disposição e, acima de tudo, manifestando a fé. É muito importante a iniciativa do Força Jovem", afirmou o bispo Marcelo Brayner, que já foi viciado e também entrou em campo nessa luta.

Outro que deu um drible no crack foi o bispo Sergio Correa, que já foi jogador de futebol profissional e deixou a carreira para fazer a Obra de Deus: "Este evento é importantíssimo, e mostra que a Igreja Universal é especialista na recuperação de viciados."

Tranquilidade

Apesar da multidão, os agentes envolvidos na organização do evento se disseram admirados com tamanha harmonia em um jogo de futebol. "Nunca houve uma partida com tamanha tranquilidade. Parecia que todos os jovens estavam saindo de uma festa, ou então que eram de um único time vencedor; sem brigas e sem bagunça, todos em ordem, tanto na entrada das catracas como na saída", comentou o engenheiro Norival Antenor Corrêa, que acompanhou o trabalho da Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET) durante toda a ação.

Para o secretário-geral da Comissão Mundial de Pugilismo, Jorge Marcelo Ramia, que viajou da Argentina para prestigiar o evento, a forma de trabalho dos jovens da Igreja Universal é algo a ser seguido: “Todos estão de parabéns com este trabalho social, que além de alertar sobre o perigo das drogas, também faz com que tantos jovens se mobilizem em prol do social. Quero aprender como ser também um voluntário da Força Jovem Brasil.”

O evento do Pacaembu foi uma continuação da campanha "Crack - Tire essa pedra do seu caminho", que levou milhares de jovens, em todos os estados do Brasil, às ruas, no início do ano, em passeata contra as drogas. E as ações do Força Jovem não param por aí. O próximo encontro já está marcado para o dia 22 de outubro, com o nome "O nocaute ao crack", um campeonato de artes marciais que acontecerá em Valinhos (SP). Nele, o campeão mundial Giovane Andrade disputará mais um título, ao lado de vários integrantes do grupo que praticam, através do projeto esportivo FJB, judô, jiu-jistu, karatê, tae kwon do, kung fu, entre outras modalidades.

Para o responsável do Força Jovem Brasil, pastor Jean Madeira,  o esporte é uma das maiores armas contra as drogas. Ele fez questão de finalizar o encontro deste sábado citando o jargão repetido em todo o País pelos participantes do grupo: " Para ou continua?" E uma multidão em festa respondeu: "Continua!"

veja também