Fotógrafo cristão luta contra nova lei que o obriga a trabalhar em casamentos gays, nos EUA

Segundo uma nova lei do Estado da Virgínia (EUA), o fotógrafo Bob Updegrove não poderia mais recusar contratos para casamentos gays.

fonte: Guiame, com informações da Alliance Defending Freedom

Atualizado: Quarta-feira, 20 Janeiro de 2021 as 10:15

Bob Updegrove é fotógrafo e está lutando na Justiça pelo seu direito de se recusar a trabalhar em casamentos entre pessoas do mesmo sexo. (Foto: Alliance Defending Freedom)
Bob Updegrove é fotógrafo e está lutando na Justiça pelo seu direito de se recusar a trabalhar em casamentos entre pessoas do mesmo sexo. (Foto: Alliance Defending Freedom)

Um fotógrafo do Estado da Virgínia (EUA), entrou com um processo contestando uma nova lei estadual que o forçaria a fotografar casamentos entre pessoas do mesmo sexo, apesar de seus princípios cristãos sobre o casamento. Bob Updegrove está lutando por seu direito de recusar contratos para trabalhar em casamentos dos quais ele discorda.

A lei que foi promulgada em 1º de julho de 2020, convoca as instituições religiosas a contratar empregadores sem discriminar a orientação sexual ou identidade de gênero de uma pessoa.

A nova lei também proíbe profissionais como Updegrove de declarar publicamente — como em seu site profissional — que ele trabalha apenas em casamentos entre um homem e uma mulher.

O escritório da ‘Alliance Defending Freedom’ (ADF), uma organização jurídica cristã sem fins lucrativos que representa Updegrove no tribunal, observou que o estado da Virgínia considera "discriminatórias" as palavras do fotógrafo que expressam sua opinião bíblica sobre o casamento.

Na próxima sexta-feira, o conselheiro sênior do ADF, Jonathan Scruggs, apresentará o caso de Updegrove ao tribunal federal.

“Os fotógrafos, como todos os outros americanos, devem ser livres para viver, trabalhar e criar uma arte pacificamente que seja consistente com suas crenças mais profundas, sem medo de punições governamentais”, afirmou Scruggs. “Devido à interpretação do estado de sua lei, fotógrafos como Bob enfrentam uma escolha impossível: violar a lei e arriscar a falência, promover opiniões contra sua fé ou encerrar as atividades”.

Scruggs observou que a Virgínia "tem uma longa e importante história de proteção das liberdades constitucionais", afirmando que "esse tipo de hostilidade do governo para com as pessoas de fé não tem lugar em uma sociedade livre".

De acordo com um resumo da ADF sobre o caso Updegrove v. Herring, o fotógrafo pode enfrentar multas de até US $ 50.000 em uma violação inicial da nova lei. Se violada uma segunda vez, a multa aumentaria para $ 100.000 com cada violação adicional.

Johannes Widmalm-Delphonse, da Alliance Defending Freedom, explicou à CBN News o posicionamento bíblico de Updegrove sobre o casamento.

“Ele acredita que o casamento é entre um homem e uma mulher. E Bob serve a todos; ele simplesmente não consegue concordar com o que todos pensam”, explicou Widmalm-Delphonse.

Em uma chamada à mídia, Updegrove compartilhou como se sentiu caluniado pelos legisladores estaduais por forçá-lo a trabalhar contra suas crenças.

“Se o governo pode lhe ordenar o que fazer, o que dizer e o que criar, então não vivemos em uma América livre”, afirmou Updegrove.

veja também