Fred Arrais: "Eu me acostumei a tocar em trio"

Fred Arrais: "Eu me acostumei a tocar em trio"

Atualizado: Segunda-feira, 11 Julho de 2011 as 4:14

Marcando presença mais uma na ExpoEvangélica, o cantor, pastor e compositor Fred Arrais agitou duas noites da Feira e bateu um papo com a equipe do Portal Guiame. Em uma conversa descontraída e sincera, o músico falou sobre lidar com imprevistos do ministério, e projetos paralelos que mantém atualmente, como o "Dançando no Fogo".

Apesar de ter um leve "desfalque" em sua banda, Fred Arrais não se intimidou com a falta de um tecladista e subiu ao palco em uma formação de trio com a mesma animação de sempre. Falando com exclusividade ao Portal Guiame sobre o assunto, Fred lembrou que como músico que aprendeu a tocar na igreja e hoje em dia viaja para diversos lugares, tocando e ministrando, ele lida constantemente com imprevistos.

"Eu aprendi a tocar no ministério de louvor da minha igreja e me acostumei a tocar com todo tipo de músico: o bom e o ruim. E no começo do meu ministério, durante várias vezes, alguns músicos não puderam comparecer e falharam. Então eu me acostumei a tocar em trio. Eu conseguia sempre um baterista e um baixista e 'vamos lá!'. É mais fácil. Essa de estar em trio também é legal, porque você tem alí um grupo pequeno para dividir toda atenção da música e construir algo. Foi muito legal. Eu curto muito isso. Quem me conhece, sabe que eu gosto de Blues e Stevie Ray Vaughan tinha um trio, Eric Clapton já tocou bastante em trio e Mike Starr também - um músico fantástico que eu acabei conhecendo em São Paulo usam essa formação. Eu acredito que assim dá para fazer um negócio mais fino e isso é muito legal", revelou.

Dançando no Fogo

Ao ser colocado diante de uma comparação entre os estilos dos dois últimos CD's lançados por ele, Fred Arrais explicou que a proposta de cada um deles realmente é diferente. Segundo o músico, o "Dançando no Fogo" conta com a participação de Jason Lee Jones, que apontado por Fred como um ministro totalmente espontâneo. Já o seu disco mais recente "Eu Creio" tem uma proposta mais musical realmente, seguindo uma linha de começo, meio e fim, já basicamente determinados.

"O 'Dançando no Fogo' é um projeto paralelo à minha carreira. Eu não estou sozinho neste trabalho, mas sim acompanhado pelo Jason Lee Jones. E o Jason é um cara muito espontâneo, é muito de ouvir aquilo de Deus na hora e o Espírito Santo vai soprando e ele vai anunciando. É uma música muito livre. E o 'Dançando no Fogo' é resultado disso: de um fim de semana livre para começarmos as canções e vermos até onde vamos. É tanto a espontaneidade artística dos músicos quanto do nosso espírito, de querer mais daquilo e querer cantar um pouco mais aquilo. Eu sempre fui um pouco mais músico. Estudei bateria durante um tempo, nos últimos anos tenho me dedicado um pouco mais à guitarra e sempre curti bandas como Delirious?, Matt Redman... esses caras que conseguem ministrar e fazer um smo legal, com arranjos legais. O meu estilo é mais esse do 'Eu Creio', mas agora nós vamos lançar também o 'Dançando no Fogo 2', que vai ser tão louco quanto o primeiro e tem eu, a Nívea Soares, o Jeremy Dawson e o Jason Lee Jones. Vai ser altamente espontâneo", assegurou.

Satisfação

Em seu depoimento, o cantor também não se esqueceu de expressar a sua satisfação em dar uma entrevista ao Portal Guiame, que segundo ele, tem alcançado credibilidade e honrado o reino de Deus.

"É um prazer estar mais uma vez com vocês, do Portal Guiame, que alcançaram tanto respeito no Brasil e que consegue passar credibilidade e honrar o Reino de Deus", declarou.

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também