Fundador da Expoevangélica fala sobre evolução da feira: “Fruto de oração e trabalho”

Em entrevista ao Guiame, o pastor Francisco Everton, fundador da Expoevangélica, relembrou as fases difíceis e falou sobre o sucesso do evento.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Sexta-feira, 13 Julho de 2018 as 4:06

Milhares de visitantes, dezenas de expositores e um palco com os maiores nomes da música gospel. Hoje essas são as características da Expoevangélica, uma das principais feiras evangélicas do Brasil, que em seu início, há 13 anos, enfrentou grandes dificuldades.

“Era um evento pequeno e quase não conseguimos trazer artistas gospel. Só conseguimos um cantor na primeira edição, para se apresentar apenas uma vez nos quatro dias de evento. De lá para cá, Deus mudou esse quadro através de oração e muito trabalho”, disse ao Guiame o fundador da Expoevangélica, o pastor Francisco Everton.

Hoje, rumo à 14ª edição, a Expoevangélica colhe o sucesso semeado com muito esforço. No entanto, a organização do evento sempre trabalhou para que alguns direcionamentos de Deus continuassem sendo seguidos.

“Primeiro, é uma feira que não é vinculada com política. Segundo, não temos bandeiras de igrejas — tanto que escolhemos como tema da Expoevangélica a frase ‘um evento feito para o povo de Deus’. Nós temos feito todos os anos um rodízio de pastores, de diversas denominações, para levarem uma palavra na abertura”, destaca Everton.

“Outro ponto importante é que nós não cobramos a entrada, mesmo tendo muitas despesas com esse evento. Recebemos como entrada 1 quilo de alimento e doamos para projetos sociais. Começamos ajudando um projeto e hoje já apoiamos sete”, destaca o fundador.

Entre os destaques estão o Projeto Ebenezer, que auxilia dependentes químicos, o projeto Cidade Criança, que atende mais de 480 crianças carentes no Ceará, o projeto África, que alimenta crianças desnutridas e o projeto missionário do Sertão.

Realizado anualmente no mês de férias, em julho, o evento também promove o setor de turismo de Fortaleza e contribui para a geração de 500 empregos temporários diretos e indiretos, oferecendo ao público 80 stands e 50 expositores.

O grande diferencial da edição de 2018 foi a oração de hora em hora realizada no palco principal do Centro de Eventos do Ceará, condenada pela Ordem dos Ministros Evangélicos do Estado do Ceará (ORMECE).

“A degradação espiritual no Brasil é muito grande e estamos orando com o intuito de Deus mudar esse quadro com joelho no chão. Esse foi um marco importante e cremos que Deus vai dar respostas”, afirma Everton. “Aqui tínhamos todas as denominações juntas e foi um momento de todos se unirem pelo mesmo propósito”.

veja também