Governo da Índia considera cristãos uma ameaça à harmonia do país

Os cristãos indianos acreditam que a declaração tem a intenção de semear a discórdia entre as comunidades.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Quinta-feira, 26 Abril de 2018 as 4:47

Governo da Índia considera cristãos uma ameaça à harmonia do país. (Foto: Reprodução).
Governo da Índia considera cristãos uma ameaça à harmonia do país. (Foto: Reprodução).

Bharat Singh, membro do Partido Bharatiya Janata (BJP), atual partido no poder, declarou para repórteres que os cristãos são uma ameaça na Índia. O líder que defende a unidade hinduísta da nação não poupou nas expressões para atingir os que creem em Jesus Cristo.

“Os missionários cristãos controlam o Congresso Nacional Indiano. Sonia Gandhi, mãe do presidente do Congresso, Rahul Gandhi, trabalha em favor desses missionários e eles são uma ameaça para a unidade do país”, declarou para a imprensa.

Bharat ainda ressaltou que a democracia nos estados do nordeste, local onde existe uma maioria cristã, foi "enfraquecida" por causa da "conversão de pessoas ao cristianismo".

Mas, apesar desta situação, o BJP se tornou o partido governante em dois estados de maioria cristã no nordeste da Índia, no mês passado. Os estados são Nagaland e Meghalaya.

O presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos, Sajan K. George, respondeu aos comentários do parlamentar e disse que ele tinha “a intenção de semear a discórdia entre as comunidades religiosas”.

Aumento da violência

Segundo a agência de notícias UCAN, cerca de 1.500 líderes religiosos se reuniram no início deste mês na cidade de Indore, no centro da Índia, para promover uma melhor compreensão das diferentes religiões. O objetivo da ação era impedir a propagação do ódio ao longo das linhas religiosas na Índia.

“Nós vemos um aumento da violência no país e ainda não encontramos uma solução. Aqueles que espalham a violência não são pessoas religiosas. Eles não entendem os princípios da própria religião”, disse Adil Sayeed, um dos organizadores da reunião.

Jacob Corepiscopa é o líder cristão de uma igreja no estado de Kerala, no sul da Índia. Ele afirmou que os cristãos nunca “forçam ninguém a se converter” e que sua obra de caridade não é voltada à conversão religiosa.

"É assim que compartilhamos nosso amor com os outros. Essas coisas são deturpadas como esforços para buscar conversão religiosa", finalizou. A Índia ocupa a 11ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2018 e a perseguição tem aumentado.

veja também