Governo português propõe acabar com feriados religiosos; igreja reage

Governo português propõe acabar com feriados religiosos; igreja reage

Atualizado: Quarta-feira, 23 Novembro de 2011 as 10:50

O ministro de Portugal Álvaro Santos Pereira, da Economia, está propondo acabar com feriados religiosos como uma das medidas de combate à recessão.

A Igreja Católica reagiu com o argumento de que só o Vaticano pode acabar com esse tipo de feriados e  que, nesse sentido, Portugal assinou um acordo com a Santa Sé.

Dom José Policarpo (foto), presidente da CEP (Conferência Episcopal Portuguesa), disse que a igreja concorda com a eliminação de dois feriados, o de Corpus Christi (entre maio e junho), e o da festa de Assunção de Nossa Senhora (15 de agosto), desde que haja a extinção da comemoração de duas datas cívicas.

O governo já cogitava acabar com dois feriados cívicos, o da Restauração a Independência (1 de dezembro) e o da Implantação da República (5 de outubro) e, por isso, poderá fazer um acordo com a Igreja Católica. Policarpo já adiantou que o Dia da Imaculada Conceição (8 de dezembro) é inegociável.

A Associação Cívica República e Laicidade mandou ontem (14) uma carta ao governo argumentando que a Igreja Católica ?não tem de impor condições? porque o Estado é laico.

Portugal tem 14 feriados nacionais. Deles, 7 são religiosos, incluindo o Natal.

Com informação das agências. Via Paulopes Weblog

veja também