Governo reconhece o trabalho da Igreja Universal na Zâmbia

Governo reconhece o trabalho da Igreja Universal na Zâmbia

Atualizado: Sexta-feira, 4 Março de 2011 as 9:51

Desde que se instalou no país africano Zâmbia, em 1995, com o objetivo de anunciar a Palavra de Deus aos que sofrem, a Igreja Universal do Reino de Deus tem enfrentado muitas perseguições por parte do governo e do judiciário, como explica o bispo Gilson Costa, responsável pelo trabalho evangelísitico no país. "Em princípio, as leis do país dificultavam os pastores de adquirirem o visto de permanência, com isso, muitos templos foram fechados.

Além disso, a instituição foi acusada de praticar satanismos e sacrifícios humanos; acusações falsas que, após alguns anos, foram julgadas e consideradas improcedentes."

Mas além da absolvição, governantes reconheceram publicamente os benefícios espirituais e sociais promovidos pela Igreja no país, durante reunião para homenagear o grupo “Mulheres em Ação”, que aconteceu no último dia 12, na Catedral da Fé, em Lusaka. O governador de Lusaka, Steven Bwalya; o representante do Presidente da República da Zâmbia, Rupiah Bwezani Banda; e o Ministro Provincial do país, Charles J. Shawa conheceram a fundo o trabalho realizado pelo grupo,  formado por voluntárias da Igreja que empenham-se em ajudar aos menos favorecidos e às mulheres vítimas de discriminação. 

Após a cerimônia, o governador Steven Bwalya fez questão de declarar oficialmente o apoio do governo à Igreja Universal e enfatizar que as denúncias de satanismo foram longamente investigadas e todas não passaram de falsas acusações. “O governo está pronto para caminhar junto com a Igreja nos serviços prestado às comunidades carentes e aos necessitados. Estou ciente, de que desde a construção da Catedral, havia denúncias de práticas de satanismos, mas todos esses anos, nós investigamos as acusações e concluímos que não são verdadeiras. Diante disso, é o desejo do governo que a Igreja continue pregando a Palavra de Deus, com a liberdade ao culto, práticas e normas da fé cristã", disse.

Ele também elogiou o exemplo dado pelo grupo de mulheres e recomendou que a população também se engaje nessa causa. "Por muito tempo, as mulheres do país têm sido uma preocupação, por isso o governo aprecia o gesto maravilhoso do projeto “Mulheres em Ação”, que se mobiliza para dar um bom exemplo aos cidadãos. Nós acreditamos que esta iniciativa será uma inspiração para todas as instituições baseadas na fé em suas diferentes localidades, ajudando na sensibilização das questões reais que envolvem as mulheres. Portanto convido a todos os residentes de Lusaka, não só para reconhecer os esforços dos membros da Igreja, como também a respeitá-los e apoiá-los", finalizou o governador, sob forte aplausos.  

veja também