Homem prega nas ruas de Londres para ‘levar esperança’ em tempos de pandemia

Pat Allerton conta que adaptou sua bicicleta para transportar equipamentos de som, como alto-falantes e um gerador.

fonte: Guiame, com informações do UG Christian News

Atualizado: Quarta-feira, 15 Abril de 2020 as 3:01

: Pat Allerton nas ruas de Notting Hill, um bairro de Londres, Inglaterra, com seu microfone. (Foto: Reprodução/UGCN)
: Pat Allerton nas ruas de Notting Hill, um bairro de Londres, Inglaterra, com seu microfone. (Foto: Reprodução/UGCN)

Mesmo durante a pandemia, um pregador está se deslocando pelo bairro em Londres com microfone e alto-falantes para levar o Evangelho às pessoas confinadas em suas casas por causa do bloqueio do coronavírus.

Pat Allerton disse à Associated Press que tem compartilhado o Evangelho com vizinhos de sua casa na área de Notting Hill desde o início do bloqueio no mês passado.

O pregador de rua explicou que, a princípio, ele usou seu carro e depois recorreu a uma bicicleta para incorporar seus alto-falantes e gerador.

"Então agora eu vou dar um grande passeio de bicicleta", disse ele. “Estou carregando um pouco de peso, como você pode ver, com os alto-falantes e o gerador, por isso sou totalmente independente, e simplesmente saio e ando de bicicleta e contorno as ruas locais procurando trazer uma um pouco de esperança”.

Bloqueios e casos de Covid-19

A Grã-Bretanha está sob um bloqueio ordenado pelo governo desde 23 de março, um estado de coisas que deve ser estendido, segundo o The LedgerNewspaper.

O número de casos confirmados de coronavírus em Londres atingiu 18.472 em 14 de abril de 2020, segundo dados divulgados pela Public Health England.

A capital teve cerca de 20% dos casos do Reino Unido, segundo relatos, e viu um número desproporcional de mortes pelo vírus.

Londres, como entre outros países que lutam contra o vírus, incluindo Uganda, ordenou que todas as igrejas fechassem para conter sua propagação.

Allerton disse ao The Telegraph que temia que pudesse receber ovos por suas pregações nas ruas.

"Mas na verdade todos são muito gentis", disse ele ao jornal, afirmado que teve uma resposta surpreendentemente positiva. “As pessoas batem palmas, elas gritam e me pedem bis".

veja também