Homens metodistas do Brasil e América Latina reunidos em congresso

Homens metodistas do Brasil e América Latina reunidos em congresso

Atualizado: Segunda-feira, 27 Junho de 2011 as 11:58

O 12º Congresso Nacional das Sociedades Metodistas de Homens e o 1º Latinoamericano y el Caribe, começou na noite de quarta-feira, 22, em Porto Seguro, BA. O evento conta com a participação de metodistas de várias partes do país e América Latina.

De acordo com  um dos organizadores, o Secretário de Correspondência da 4ª Região, Daniel Souza Gomes, 55, cerca 350 pessoas de várias Regiões Eclesiásticas da Igreja Metodista, participam do evento.

Para Guilhermo Matias Guedes, 49, do Chile, o homem metodista precisa ocupar lugares importantes para não perder o foco da missão: “Gostaríamos de ver homens  ocupando posições de serviço em todo o mundo. Que Deus possa confirmar por meio desse encontro o desejo de missão e trabalho no coração dos homens metodistas, pois eles precisam dar testemunho no trabalho e na vida cristã”, declarou o presidente da Confederação Latinoamericana e Caribe.

Guilhermo destacou ainda a importância da contribuição do Rev. Fernando Cezar, da 3ª Região, quando  compartilhou o projeto Recriar a Escola Dominical do Brasil, em 2007, com o Chile. “O rev. Fernando esteve conosco em nossa Assembléia representando a Igreja Metodista Brasileira e, como convidado deu sua contribuição com o projeto Recriar a Escola Dominical”, disse.

Evento - De São Paulo, vieram 57 adultos e sete crianças, afirma o presidente da Federação da 3ª Região, Geraldo Pinheiro.

Alguns congressistas expressaram o sentimento de participar do evento. Nelson Alves, 64, membro na Catedral Metodista em São Paulo foi um deles. "O grande milagre de Deus é o encontro. A igreja só sobrevive quando ela se encontra e consegue viver com o diferente. O objetivo das Federações é conviver com o diferente", revela.

Ailton Siqueira, 55, Presidente da Sociedade de Homens da Igreja Metodista em Nilópolis, RJ, também se pronunciou. "É um prazer imenso ver homens metodistas reunidos em prol da missão".

A Bispa, Marisa de Freitas Ferreira, fez a abertura do evento e disse que é um estímulo para a Região Missionária do Nordeste, Remne, pois é um desafio para que se crie mais sociedades nas igrejas locais. Em sua reflexão baseada em Mateus 1.18-21 e Gálatas 1.1-10, a Bispa disse que Deus levantou muitas pessoas para a obra - Moisés, Jacó entre outros, mas a "escolha de Cristo foi consciente, Jesus não foi vítima de ninguém, Ele se entregou, foi uma escolha desejada", disse ao se referir que, mais uma vez, Deus não nos abandonou e cria recursos para que o ser humano possa se voltar para Ele e, "que nenhuma religião tome o lugar de Deus”.

Após aprovação dos relatórios, tanto do presidente da confederação, Abdenêgo Eugênio, que destacou o sonho de “fazer com que cada homem metodista se torne um evangelista” e dos presidentes das federações, o pastor da Igreja Anglicana em Recife, Sergio Andrade, conduziu um momento sobre a violência contra a mulher.

“Como líderes cristãos temos que tomar decisões dentro de nossas comunidades para combater a violência contra a mulher", afirmou o autor do livro, Até Quando? juntamente com Aileen Silva Carroll. Que há dez anos dá palestra para homens sobre o tema. “A Igreja evangélica nesse país precisa lutar pela causa da violência contra a mulher. Essa é uma causa nossa, cristã", disse.

O historiador e teólogo, José Carlos Barbosa, ao editar o livro Negro não entra na Igreja, espia da banda de fora, descobriu que não há diferença entre igrejas evangélicas. Barbosa destacou o sermão de Wesley sobre o rei Agripa citado por Lucas em Atos 26.28 que blefou quando disse que quase foi persuadido se tornando um cristão. Disse ainda que a instituição começa a fraquejar quando abandona a doutrina da santificação. “Que não façamos nenhuma concessão com os reis Agripa, Herodes dos tempos modernos, porque o comprometimento exige sintonia com a cruz”, disse.    

veja também