Humanidade e Fé: Requisitos básicos de um heroi

Humanidade e Fé: Requisitos básicos de um heroi

Atualizado: Quarta-feira, 24 Fevereiro de 2010 as 12

Por Nany de Castro - www.guiame.com.br

Abel, Enoque, Abraão e Sara são alguns nomes citados no livro de Hebreus, capítulo 11. Essas pessoas foram grandes testemunhas de fé e por isso são consideradas por muitos como herois e heroínas. Porém, apesar de suas histórias serem propagadas por centenas de anos, eles foram humanos, com medos, dilemas, dores, alegrias e esperanças.

O autor Públio de Azevedo mostra em seu livro "20 degraus da escalada da fé" como os herois bíblicos são parecidos com pessoas comuns e conclama todos os cristãos a viverem pela fé e oferecerem o melhor para Deus. O trabalho é resultado de uma série de suas pregações na escola dominical e foi estimulado pela necessidade de jovens cristãos terem um referencial heróico, homens que tenham vivido e praticado a sua fé, independentemente das consequências.

Leia a entrevista exclusiva que Azevedo concedeu ao Guia-me e veja se você tem a chance de ser, também, um heroi da fé.

Guia-me: Quais as características básicas de um Herói da Fé?

Públio de Azevedo: Sem dúvida alguma é ser um humano! Um simples ser humano, homem ou mulher, adulto ou criança, que na sua limitação - física, temporal, emocional etc - permita-se viver pela integridade da Palavra de Deus! Se o heroi é da fé, ele crê! E no que ele crê? Aqui está o heroísmo, nadando contra a maré da sociedade, contra uma visão humanista centralizadora no homem, num formato pós-moderno de autossuficiência exacerbado e diante de uma busca a uma liberdade e individualidade que descaracteriza o homem enquanto ser humano. O heroi da fé crê na Palavra de Deus, por ela vive e espera.

Guia-me: De que forma um cristão comum pode também ser um heroi?

Públio de Azevedo: Saindo do obvio da sociedade, em especial da atual,  como já mencionado acima, da autossuficiência do homem, da ilusão do "faça você mesmo", do "tentar por tentar" ou "fazer por fazer", para uma vida dirigida pela Palavra de Deus, para a dependência do Deus Eterno. Quanto mais "comum" o cristão for, mais à disposição estará para receber o "surpreendente" de Deus. Existe algo mais comum do que uma família desestruturada como a de José ou de Jefté? Existe algo mais comum do que a desesperança nos sistemas de governos do que a que Gideão, Daniel, e seus amigos Ananias, Azarias e Misael, sofreram?

Sim, todos os herois citados em "20 degraus para escalada da fé", eram pessoas comuns, e viveram situações de dificuldades como as atuais, todavia, se permitiram sair do obvio, decidiram crer na Palavra de Deus!

Guia-me: O padrão de Deus é o mesmo que o humano? Como fazer algo que seja o melhor para Deus?

Públio de Azevedo: O padrão que Deus espera de nós é humano! Mas, não no tipo de vida "desumana" que vivemos! O Padrão de Deus para o homem é o do humano Jesus, padrão de obediência. A Palavra de Deus declara que Jesus: "obedeceu até a morte, e morte de Cruz...". Como cito no livro, Deus não espera de nós perfeição, porque não temos isto para oferecer a Ele, mas espera e exige de nós obediência, como o próprio Cristo declara: "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda este é o que me ama...". Não podemos amar a Deus em perfeição, todavia, está ao nosso alcance amá-lo em obediência, obediência a sua Palavra.

Guia-me: Ao buscar fazer o melhor para Deus, em sua opinião, a pessoa pode correr o risco de confundir a Graça de Deus com meritocracia? Se sim, como não permitir que isso aconteça?

Públio de Azevedo: Talvez este seja um risco, entendo que um risco pequeno, completamente suprido pelo conhecimento e prática da verdade bíblica, que é a Palavra de Deus.

Para que esta confusão não ocorra, precisamos voltar os nossos olhos para Cristo, autor da nossa fé! O Rei dos reis, Senhor dos senhores e Herói dos herois, pois Cristo morreu a nossa morte para que vivêssemos sua vida! Ou seja, a vida do heroi só é possível ser vivida quando ele não a vive mais! Como declara o apostolo Paulo: "Não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim...".

Guia-me: O senhor crê que as propostas de autoajuda levam a resultados semelhantes aos que uma pessoa obtém com "ajuda do alto"? Por quê?

Públio de Azevedo: Não, de forma alguma! A autoajuda é limitada às capacidades e virtudes do próprio homem e, por mais presunçoso que o homem seja a respeito de si, mesmo que não possua fé na Palavra de Deus, há de admitir pelo registro histórico que homem não é padrão para si mesmo!

Guia-me: Em sua opinião, quem são os herois da fé hoje?

Públio de Azevedo: Para mim os heróis da fé hoje são:

Idosos que vivem de uma aposentadoria, com gastos astronômicos com remédios, dependendo de consultas do sistema pública, e "perseveram da Palavra, não vivem em murmurações, antes em tudo dão graças a Deus".

Pais de família que diante dos apelos da mídia mantém-se fiel no casamento, não aderem ao sistema imposto pelas novelas e minisséries, lutam juntos pela educação dos filhos, e estes são "ensinados nos caminhos do Senhor!".

Jovens que trabalham honestamente, conduzem com inteligência os seus salários, estudam, sustentam seu dia-a-dia, auxiliam seus pais em casa, pela Fé investem na obra do Senhor, são fieis no namoro, são santos no vestir e falar, não são escravos do modismo nem do consumismo compulsivo, e com "sua força louvam a Deus com alegria e criatividade".

São as crianças que ensinadas no caminho do Senhor estão libertas do julgo do sistema, são felizes com o que são, com o que tem, na família onde Deus as colocou sendo obedientes aos seus pais.

Enfim, são todos aqueles que vivem pela fé no filho de Deus, e em Deus sempre aguardam por algo novo, algo surpreendente. Que estes herois de hoje possam ser eu e você!

veja também