Igreja Adventista da Promessa completa 80 anos

Igreja Adventista da Promessa completa 80 anos

Atualizado: Terça-feira, 24 Janeiro de 2012 as 2:59

Fundada em 1932 pelo pastor João Augusto da Silveira, a Igreja Adventista da Promessa completa hoje, dia 24 de janeiro, 80 anos de existência.

Confira abaixo, um texto publicado no site da igreja em comemoração a essa data especial:

A IGREJA DE CRISTO: UMA COMUNIDADE SINGULAR

TEXTO BASE: Mateus 16:18

INTRODUÇÃO
A igreja é o conjunto de todos os verdadeiros cristãos de todos os tempos e lugares, isto é, os que se arrependeram e foram perdoados e justificados mediante a fé em Jesus Cristo. A primeira vez que esta palavra aparece na Bíblia está registrada em Mateus 16:18. Neste texto, quando se referiu à igreja, Cristo usou a palavra grega ekklésia, que significa literalmente: “chamados para fora”, e indica, em sua língua de origem, uma assembleia, ou um ajuntamento de pessoas para tratar de algum assunto de interesse comum.

Os gregos tinham suas assembleias, nas quais os magistrados decidiam a vida jurídica dos seus cidadãos (cf. At 19: 32, 39). Jesus decidiu também criar a sua comunidade; a sua assembleia. Decidiu criar uma comunidade que se reuniria em torno dele. Quando alguém o recebe como Senhor, começa a fazer parte dela, por meio do Espírito Santo, que a unifica (1 Co 12:12-13). Esta comunidade é singular! É a igreja de Cristo! É projeto dele. Nós fazemos parte deste corpo. A experiência de 24 de janeiro de 1932 marcou a vida do pastor João Augusto da Silveira, e o início da Igreja Adventista da Promessa.

No mesmo ano, a China vivia um avivamento, com o derramamento do Espírito Santo, e, em paralelo a isso, os dados da Sociedade Bíblica Internacional revelavam naquele ano a maior publicação de Bíblias da história até então: mais de um bilhão de exemplares! Coincidentemente ou não, naquele ano surgiu a Igreja Adventista da Promessa, uma igreja bíblica, da palavra e do poder. Tínhamos muitos fatores adversos. Nosso pioneiro vinha de uma família pobre, de um estado pobre.

Contudo, por pura graça, completamos em 2012, 80 anos de história.

E não nos enganemos. Não chegamos até aqui por causa de nós mesmos. Não foi por causa da inteligência dos nossos fundadores ou administradores. Quem sustenta a igreja é Cristo. Esta história vai continuar até o dia do regresso do Senhor

Jesus Cristo. Caminhamos até aqui por causa dele, e caminharemos até aquele dia ajudados por ele. Sabe por quê? Porque somos parte do corpo de Cristo, fazemos parte de sua igreja, uma comunidade singular! O texto de Mateus 16:18 nos apresenta quatro razões pelas quais podemos afirmar que a igreja é singular, e que nos mostram a razão da sua existência.

1. É UMA COMUNIDADE ALICERÇADA EM CRISTO

A igreja de Cristo tem um alicerce seguro, inabalável. Sobre este alicerce, Jesus disse a Pedro: …sobre esta pedra edificarei a minha igreja (Mt 16:18 – grifo nosso). Quem é “esta pedra”? Obviamente, não é o próprio Pedro. Hernandes Dias Lopes diz que o nome de Pedro deriva do termo grego petros, que significa fragmento de pedra. Mas nesse texto, o termo pedra tem origem na palavra grega petra, que significa rocha inabalável, pedra inamovível. Aqui, Cristo refere a si próprio. Ele é o alicerce da igreja! (Ef 2:20)

Nas palavras de Paulo, ninguém pode lançar outro alicerce, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo (1 Co 3:11). A base da igreja é Cristo. E, justamente, por ser alicerçada em Cristo, a igreja não depende do poder humano para existir. Se dependesse da oratória de Pedro, da sabedoria de Paulo ou da eloquência de Apolo, ela já teria se extinguido juntamente com eles. Se dependesse de homens, a igreja não teria suportado a perseguição imposta por diversas autoridades, no decorrer dos anos.

A igreja depende única e exclusivamente de Cristo, o seu Senhor! Ela subsiste porque Cristo, o Senhor, a sustenta (Cl 1:18). Por ser alicerçada em Cristo, a igreja não é objeto de glória humana. Muitos se aproveitam da noiva do Senhor com o intuito de promover a imagem pessoal. Isso, todavia, é um grave erro. A igreja é objeto da glória de Cristo e de mais ninguém: Convém que ele cresça e que eu diminua (Jo 3:30).

2. É UMA COMUNIDADE EDIFICADA POR CRISTO

Além de ser o alicerce, Cristo é também o construtor da igreja. O texto, por si mesmo, é claro: …edificarei a minha igreja (Mt 16:18 – grifo nosso). O termo “edificarei” tem sua origem na palavra grega oikodomeo, que significa erigir uma construção, promover crescimento. A igreja não é uma comunidade estática, morta, fadada à mesmice. Ela é um edifício em construção, um organismo vivo, um corpo em crescimento.

A igreja está em construção o tempo todo. Por quê? Simples, porque ela é uma comunidade de homens e mulheres imperfeitos (1 Jo 1:8). Ela persegue a santificação, mas não a alcança sozinha; precisa da ajuda de Cristo (Rm 6:22). É este que tem o poder de edificar a igreja e tem feito isso. Ele a conhece e sabe como torná-la espiritualmente madura. As técnicas, a força, a sabedoria e o dinamismo humanos são incapazes de erguer a igreja. Só Jesus tem esse poder.

Para que a igreja foi por Cristo construída, edificada? Certamente, para cumprir a sua missão na terra, ou seja, adorar a Deus continuamente (Cl 3:16), anunciar Cristo ao mundo, à toda criatura (Mc 16:15), preparar os santos por meio do ensino (Mt 28:19), amparar os necessitados (1 Jo 3:17) e alimentar esperança (1 Co 15:19). Cristo não a construiu para a ociosidade, mas para fazer diferença num mundo corrompido pelo pecado. Seja feita, portanto, a vontade do construtor da igreja! (Mt 16:18)

3. UMA COMUNIDADE PERTENCENTE A CRISTO

A terceira razão porque a igreja é singular está relacionada ao seu proprietário. Preste bem atenção nas palavras de Jesus: … edificarei a minha igreja (grifo nosso). A igreja é de Jesus. Ele é o proprietário! Mas por quê? Por que ele a comprou por alto preço. Pedro nos lembra que não foi com valores terrenos e perecíveis, como prata e ouro, que fomos resgatados do pecado, mas com o precioso sangue de Cristo (1 Pd 1:18-19). A Igreja de Cristo foi comprada com o seu próprio sangue, e é preciosa aos olhos dele (Ef 3:7-12).

O dono da igreja é o Cordeiro de Deus e ele fez questão de afirmar isso ao dizer “minha igreja”, porque os homens costumam se esquecer desta verdade. Não é difícil encontrarmos líderes, e até membros, nas comunidades locais, agindo como donos da igreja, querendo dirigi-la conforme suas próprias vontades, como se fossem senhores dela. Fazem assim por causa da competência e da influência que têm, ou porque estão há muito tempo na igreja, ou ainda porque possuem uma boa condição financeira. Estão errados! Ninguém tem o direito de sentar na cadeira que pertence a Jesus.

Além disso, agimos como proprietários da igreja, quando, por exemplo, nos achamos indispensáveis dentro dela. Quando pensamos que, sem o nosso trabalho, a igreja irá parar. Ledo engano! Membros, consagrados, líderes, pastores, superintendentes e presidentes passarão, mas a igreja, que pertence a Cristo, permanecerá! Saiba que a igreja é propriedade exclusiva e particular de Jesus (1 Pd 2:9-10). Ele não admite sócios-proprietários. Igreja não é uma empresa, cujas ações estão disponíveis na bolsa de valores para venda. Ela é de Jesus e só dele. Todos aqueles que se levantarem para fazer o contrário, cairão! A igreja é singular porque é de Cristo!

4. UMA COMUNIDADE VENCEDORA EM CRISTO

A igreja, a comunidade estabelecida por Jesus, já acumula quase dois mil anos de história. Qual o segredo desta continuidade? Jesus. Onde reside a sua força? Em Jesus. O versículo que estamos analisando termina dizendo que as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja. Mas o que isso significa? Barclay nos lembra que, no antigo Oriente, especialmente nas pequenas cidades e aldeias, a porta sempre era o lugar onde os líderes se reuniam e onde pronunciavam seus conselhos e emitiam julgamentos.

A “porta” de uma cidade era o tribunal, o lugar do governo. Lembre-se, por exemplo, que uma das acusações de Deus a Israel, em Amós, foi a de aceitarem suborno na “porta” (5:12). Já a palavra traduzida por “inferno” é derivada do termo grego Hades; lugar que, segundo acreditavam os judeus, não era de castigo e sim o lugar para onde iam todos os mortos. Então, é bem provável que a expressão “portas do inferno”, seja sinônima de “poderes ou governo da morte”. Estes jamais superarão a força da igreja. Não “prevalecerão” contra ela, ou jamais serão superior em força, disse Jesus!

A igreja de Cristo triunfará! E quem garante a vitória da mesma sobre os poderes da morte é o próprio Cristo. Fazemos parte de uma comunidade vencedora em Cristo. Nem mesmo a morte poderá destruir esta comunidade, pois os que dela fazem parte, mesmo que vierem a morrer, ressuscitarão. Muitos foram os que, no decorrer dos anos, tentaram destruir a igreja, através de perseguições e heresias, todos sem sucesso. A igreja continua a existir. Por quê? Jesus trouxe a igreja até aqui e a levará até o seu destino final!

CONCLUSÃO

Nós, Adventistas da Promessa, no início de nossa história, éramos chamados de “mal de sete dias” (uma referência ao tétano neonatal, que matava muitos recém-nascidos). Mas graças a Cristo, o Senhor da igreja, estamos completando oitenta anos! Precisamos reafirmar isso: é por causa de Jesus que estamos completando 80 anos! Jesus, que é alicerce, edificador e proprietário da igreja, tem nos sustentado! Não chegamos até aqui por causa dos “ícones” que nomeamos ao longo dos anos, mas por causa dele! Toda glória seja dada a ele!

Um dia, nosso Senhor, que venceu os poderes da morte, buscará esta comunidade singular, isto é, todos os verdadeiros cristãos de todos os tempos e lugares, e estaremos para sempre ao lado dele! Até que este dia chegue, continuemos a proclamar as virtudes daquele que nos tirou das trevas para o seu reino de luz! Continuemos a influenciar, a ser sal e luz. Continuemos a ser uma comunidade que tem uma mensagem de esperança para uma sociedade enferma. Somos mais do que vencedores

em Cristo!
Diretoria Geral Executiva

veja também