Igreja angolana contra legalização do aborto

Igreja angolana contra legalização do aborto

Atualizado: Segunda-feira, 7 Novembro de 2011 as 12:02

Angola prepara-se para um novo código penal 36 anos após a independência. O projecto deste documento foi muito recentemente submetido a consulta pública ao nível do todo País e já recebeu contribuições bastantes pelo que estará a caminho da Assembleia Nacional para sua aprovação.

Entretanto a Conferência Episcopal de Angola e S.Tomé não concorda com o artigo 144, sobre a legalização do aborto na República de Angola. Depois de uma posição oficial reprovando a ideia da legalização do aborto feita por canais próprios em Luanda, o mesmo artigo 144 do projecto em causa, voltou a receber mais um não dos mais de 180 participantes no primeiro congresso Nacional das Famílias da Igreja Católica decorrido em Setembro último na Província do Huambo.

Em entrevista à voz da América o Arcebispo de Saurimo Dom José Manuel Imbamba, disse que as experiências colhidas dos Países que já há muito legalizaram o aborto são de arrependimento, uma lei como esta é um matadouro de vidas humanas e qualquer pessoa de consciência limpa seria incapaz de aceitar a sua execução num País que deve salvaguardar os valores mais sublimes da natureza da pessoa humana.

O prelado critica duramente as ideologias eclécticas de alguns angolanos que só querem construir clínicas e hospitais para matar vidas de inocentes e ganharem dinheiro por prática de assassínios legalizados, uma vez que a constituição do País protege a mãe gestante contra qualquer agressão de natureza física ou psicológica.

As políticas egoísticas de evitar a super povoação do mundo e a consequente falta de recursos para alimentares a todos só têm explicações justificando a destruição propositada de alimentos sob pena de inflacionar os preços no mercado internacional em detrimento do escândalo da fome no corno da África.

Notícias Cristãs com informações do Voz da América via AngoNotícias  

veja também