Igreja de Cuiabá cai em novo golpe do material de construção doado

Igreja de Cuiabá cai em novo golpe do material de construção doado

Atualizado: Quarta-feira, 30 Junho de 2010 as 11:16

Uma igreja evangélica de Cuiabá foi vítima de um novo tipo de golpe que vem sendo aplicado em diversos locais do país. Uma pessoa entra com contato por telefone se passando por um pastor e oferece doação de materiais de construção. Mas, que os produtos estariam em São Paulo e, por isso, é solicitada à congregação que faça o depósito do valor correspondente ao frete.

A Igreja de Deus, localizada no bairro CPA I, foi lesada em R$ 2 mil. O bispo Sérgio Aguiar informou ao Olhar Direto que recebeu a ligação, na própria igreja, de um homem identificado como pastor Salles de uma igreja Batista de Ilha Cumprida, região litorânea de São Paulo.

Segundo Aguiar, no primeiro contato, o pastor contou que um dos seus filhos teria vindo a Cuiabá para resolver um contrato com a Sansung e ao passar pela igreja teria anotado o telefone. Também contou que um membro da igreja paulista faleceu recentemente e deixou uma grande quantidade de materiais de construção.

O curioso é que o valor total para compra no mercado é de R$ 60 mil e os produtos que supostamente seriam doados são bolsas de cimento, cal, telhas, pisos, vasos sanitários, vigas de madeira, dentre outros.

"É difícil saber que se refere a um golpe porque ele (golpista) é muito educado e demonstra profundo conhecimento bíblico. Conversou sobre ministérios, relatos bíblicos. Além disso, é extremamente articulado e na ligação parecia um verdadeiramente um pastor", observou.

O bispo relatou ainda que o pastor dizia que precisava doar o material de construção, pois o galpão onde estava armazenado tinha sido vendido. Para concretizar a doação, bastava apenas a Igreja de Deus depositar o valor do combustível para o frete.

"O pastor disse que outro filho dele iria retornar a Cuiabá e eu poderia pagar apenas o combustível. Ainda pediu fazer uma nota de doação registrada no cartório e para arrumar pelo menos 10 homens que me ajudasse a descarregar o caminhão", frisou.

Quadrilha

Aguiar fez o depósito uma semana depois e ligou várias vezes no mesmo número que estava mantendo contato com o pastor, porém, ninguém mais atendia. No dia seguinte, tentou novamente e veio a descoberta. O mesmo homem revelou que o telefone era de um presídio e que o bispo foi vítima de um golpe.

"Quando a noite voltei a ligar esse mesmo homem de voz macia transformou sua voz e disse que lá era um presídio e que o melhor que eu fazia era ficar quieto porque eles não têm mais nada a perder. Eles faziam isso para comprar pó e que usou a conta de um senhor crente que visita eles dizendo que ia chegar um dinheiro de parentes de Mato Grosso", frisou ao lembrar ainda que o bandido encontrou o número da igreja na lista telefônica.

Ressarcimento

O bispo Sérgio Aguiar foi até a Polícia Federal na tentativa de investigar o caso e obter o ressarcimento, mas não sem sucesso. Contudo, procurou também a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) como meio de informação e adianta que, pelo visto, será um caso complicado. "Eu pensei que nunca cairia nesses golpes. Muitas vezes confiamos primeiro pra depois pedir documentos e comprovação da veracidade dos fatos", alertou.

Por: Kelly Martins

veja também