Igreja Metodista publica posicionamento referente a união homoafetiva

Igreja Metodista publica posicionamento referente a união homoafetiva

Atualizado: Segunda-feira, 16 Maio de 2011 as 2:34

O projeto que prevê punições para homofobia tem gerado discussões acaloradas no Senado Federal e repercute em todo o país. Diante da oposição da bancada evangélica, a proposta foi retirada da pauta para ampliar o debate com setores contrários.

A proposta modifica a Lei de Racismo para criminalizar também os atos de homofobia, estendendo a eles as mesmas punições impostas aos crimes de preconceito racial. O texto prevê punições para quem impedir manifestações de afetividade entre pessoas homossexuais em locais públicos, quem recusar ou sobretaxar a compra ou a locação de imóveis em razão de preconceito, ou quem, pelo mesmo motivo, prejudicar recrutamento, promoção profissional ou seleção educacional.

Para a Igreja Metodista, a liberdade é um dos principais pilares da sociedade e só é possível vivê-la se houver a concretização da liberdade de consciência e expressão. O projeto, portanto, incita a discriminação ao promover censura da consciência e da expressão e promove a violência, pois defende a liberdade para um grupo em detrimento de outros.

Saiba mais sobre a opinião da Igreja Metodista sobre o projeto: Pronunciamento do Colégio Episcopal sobre a homofobia

  Leia também a carta pastoral sobre homossexualidade:

Carta Pastoral sobre a homossexualidade

  Veja ainda:

Outros pronunciamentos e pastorais  

veja também