Igreja Metodista Unida abre as portas para show anual de drag queen

O evento comemorou o encerramento do mês da história gay: “trabalhando com nossos irmãos LGBT”, disse um pastor.

Fonte: Guiame, com informações de CBN NewsAtualizado: sexta-feira, 19 de novembro de 2021 18:15
Igreja Metodista Unida. (Foto: Lauren Baydaline/Escritora Contribuinte/Site Memory Wheel)
Igreja Metodista Unida. (Foto: Lauren Baydaline/Escritora Contribuinte/Site Memory Wheel)

Uma organização do orgulho gay da Emory University, que fica na Geórgia, EUA, recentemente realizou seu show anual de drag queen, numa igreja metodista afiliada à universidade de Atlanta.

O evento tinha como objetivo comemorar o encerramento do mês da história gay, que é diferente do mês do orgulho gay. O grupo LGBTQ+ e o Pride Group se uniram para organizar o “Drag Show”. 

O local escolhido para as comemorações foi a capela Glenn Memorial da Igreja Metodista, onde Tom Greenler, um aluno do último ano, foi o anfitrião do evento vestido de travesti. 

Tom disse que “há algo muito subversivo em hospedar um show de drag numa igreja, especialmente uma igreja metodista como a Glenn Memorial. A Igreja Metodista Unida (UMC, sigla em inglês) chegou a adotar oficialmente algumas posições anti-LGBT nos últimos anos”, ele explicou.

O que fez a Igreja mudar de ideia?

Para o aluno, o que impulsionou o “avanço” quanto ao posicionamento da Igreja foi o movimento LGBT. “Eu sinto que esse tipo de quebra de barreiras é o que significa ser drag”, comentou.

Ele comemora o fato de que uma igreja como a Metodista esteja dando as boas-vindas ao show drag. Durante o evento, também foram realizadas apresentações de hip hop e concurso de fantasias.

De acordo com o Campus Reform — um site conservador de notícias, voltado para o ensino superior, onde os alunos são os próprios repórteres — os púlpitos foram cobertos com bandeiras transgênero e orgulho gay. 

Dando espaço para a “expressão queer”

“O Drag Show ofereceu um espaço para a expressão queer quando a homofobia, a transfobia e o racismo tornam o mundo inseguro. Drag é sobre família”, disse Layla Aberman, presidente da Emory Pride.

“Há muito tempo que a Emory Pride apoia as atividades LGBT. O Escritório da Vida LGBT da escola foi fundado no outono de 1991”, ela contou. De acordo com o jornal Emory Wheel, num artigo de 2015, a escola havia sido nomeada como a “escola mais amigável para LGBT”, na Geórgia.

Ainda de acordo com o Campus Reform, “há dois anos, o pastor principal da igreja, Mark Westmoreland, escreveu uma carta ao editor que foi publicada na Emory Wheel, expressando seu desacordo com o voto da Igreja Metodista Unida para afirmar o casamento tradicional.

Desde então, o ativismo gay tomou conta da Igreja. “Os muitos aliados continuam a se posicionar e a trabalhar com nossos irmãos LGBT por direitos e rituais plenos”, ele disse na ocasião. “Eu sei que a mudança está chegando e acredito que ela virá em breve”, ele continuou.

O site da igreja inclui mais de 1.200 artigos dedicados a discutir justiça racial e inclusão LGBT, incentivando os membros de sua congregação a marchar na parada do orgulho gay de 2021, em Atlanta.

 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições