Igreja no ocidente é chamada a se unir aos cristãos de Israel

Igreja no ocidente é chamada a se unir aos cristãos Israel

Atualizado: Sexta-feira, 22 Julho de 2011 as 11:48

Cristãos de Jerusalém apelam aos crentes no Ocidente a terem mais comunhão com seus irmãos e irmãs da terra santa, que continuam a sofrer em um cenário de conflito e desconfiança.

Ministro Fouad Twal, durante uma conferência sobre a situação dos cristãos em Israel, realizada em Londres nesta semana, disse que está se tornando cada vez mais difícil para os israelenses e palestinos vislumbrarem um futuro de coexistência, ao mesmo tempo, torna-se mais fácil "demonizar o outro".

"Uma geração inteira de israelenses e palestinos cresceu testemunhando e sendo vítima de violência, ocupação, separação e do ódio. Tem havido menos oportunidades para interagir”, disse ele.

Há uma necessidade "urgente" em resolver o conflito, mas as possibilidades de uma solução justa diminuem cada vez mais, enquanto as forças extremistas ganham mais seguidores.

Ele exortou os cristãos no ocidente a estarem em comunhão com os cristãos de Israel e para conhecer mais a situação que enfrentam. "Compartilhar as alegrias e sofrimentos, suportar os seus encargos, refletir e considerar a sua responsabilidade para com essa parte da igreja", disse ele.

Twal pediu aos cristãos para apoiar as instituições cristãs em Jerusalém que estão oferecendo oportunidades de emprego e serviços de saúde e educação não só aos cristãos, mas também para a população não-cristã.

"A presença cristã é ameaçada, e a terra que Jesus viveu não pode se tornar um equivalente de uma Disneylândia espiritual, de belos edifícios, locais históricos e museus em exposição", disse ele.

"Todas as pessoas – judeus, cristãos e muçulmanos - sofrem as consequências do conflito. A ocupação é uma imagem terrível para qualquer Estado democrático, como é horrível para as pessoas das áreas ocupadas, onde o ódio e a aversão são encorajadas e alimentadas.

"Estamos cientes da perseguição e do sofrimento dos nossos cristãos em alguns países muçulmanos na região, mas isso não pode impedir que os ocidentais se lembrem da triste realidade da igreja em Jerusalém.

veja também