Igreja Renascer incentiva participação de crianças e adolescentes surdos

Igreja Renascer incentiva participação de crianças e adolescentes surdos

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2009 as 12

No Brasil, segundo o IBGE, existem cerca de 6 milhões de pessoas com problemas de surdez. Adotar iniciativas que ajudem na inclusão social dessas pessoas é um caminho, às vezes árduo, mas que vem apresentando alguns resultados. É com esse sentimento que o Ministério Renascer Deaf da regional Vila Matilde vem atuando junto às crianças e adolescentes surdos, batizado de Deaf Kids.

O objetivo do ministério é levar a essas pessoas o conhecimento da palavra de Deus por meio da Libras (Língua Brasileira de Sinais), segunda língua oficial do Brasil. As atividades englobam aprendizado da Bíblia, teatro, jogos e brincadeiras (livres e orientadas), debate sobre temas da atualidade, estudos do meio (ida ao mercado e à praça, por exemplo) e passeios (como no Playcenter e ao cinema). Mas o trabalho atinge também os pais e familiares, que se reúnem em outro espaço com uma professora e aprendem a Libras por meio de assuntos relacionados à educação de seus filhos.

Hoje, o Deaf Kids da Vila Matilde possui quatro intérpretes e dois oficiais de apoio e atende de 20 a 30 pessoas, entre crianças surdas e familiares. Os encontros são realizados aos sábados, das 14h às 17h.

Segundo o presbítero Rafael Miguel, que lidera o ministério na regional, o trabalho é de suma importância para as crianças, que adquirem conhecimento sobre as verdades e valores de Jesus, formação e consciência cristã, maximização do repertório lingüístico e podem se socializar com outras pessoas. Já para a família, além de serem ministradas sobre a palavra de Deus, aprendem sobre a língua de seus filhos e têm um espaço acolhedor para cura de problemas e troca de informações.

Ele lembra que o primeiro passo foi o reconhecimento do Apóstolo Estevam Hernandes e da Bispa Sonia Hernandes quanto ao valor da criação e desenvolvimento do ministério e o reconhecimento dos surdos como membros. "Eles precisam de espaços específicos para crescimento e tivemos total apoio da igreja, como a separação das cadeiras da frente durante os cultos para que os surdos visualizem a interpretação e salas para os cursos de Libras e o estudo da Bíblia", conta.

Para o futuro, o ministério espera a chegada de mais oficiais e surdos. Para isso, investirá no evangelismo por meio de visitas e eventos, além da divulgação pela Rede Gospel e outros informativos e publicações.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também