Igreja Universal atrai 8 mil pessoas para inauguração de templo em Portugal

Igreja Universal atrai 8 mil pessoas para inauguração de templo em Portugal

Atualizado: Terça-feira, 3 Agosto de 2010 as 8:40

O dia primeiro de agosto de 2010 ficará para sempre ligado à história da Igreja Universal do Reino de Deus em Portugal. O motivo? A inauguração da primeira Catedral da Fé construída no país e na Europa.

O bispo Júlio Freitas, responsável pelo trabalho evangelístico da Igreja Universal em Portugal e na Europa, onde é designada de Centro de Ajuda Espiritual, ministrou as três reuniões do dia. No total, cerca de 8 mil pessoas estiveram presentes.

O salão principal da nova Catedral da Fé, localizada na Rua Egas Moniz, na cidadedo Porto, ficou lotado com mais de 2,4 mil pessoas, assim como o auditório auxiliar com mais de 300 pessoas

No altar, o bispo Júlio Freitas foi auxiliado pelo bispo Fernandes, responsável pelo trabalho evangelístico do Centro de Ajuda Espiritual no Norte de Portugal.

Utilizando-se dos meios tecnológicos, ao seu dispor, a exemplo da internet, a instituição transmitiu pelo endereço www.iurd.pt, ao vivo, a reunião de inauguração para todo o mundo.

Somos livres

Na mensagem trazida pela manhã (9h30) e à tarde (15 horas) o bispo Júlio Freitas explicou o motivo pelo qual a Igreja Universal tem sofrido tanta oposição, perseguição, insultos, ameaças e discriminação por parte de pessoas mal intencionadas, sectárias (pessoa que faz parte de uma seita), manipuladoras, religiosas, que se sentem ameaçadas pelo trabalho sério, transparente e eficaz do Centro de Ajuda Espiritual em Portugal, baseando-se sempre na Bíblia.

“Trabalhamos para todas as pessoas de diferentes camada sociais, para os necessitados, para os doentes, para as pessoas perdidas, viciadas, discriminadas, enfim, a todos os renegados pela sociedade. Isso porque, se o Deus em quem nós cremos existe, Ele irá mudar a vida dessas pessoas. E assim tem acontecido ao longo da história da Igreja Universal em Portugal e nos 177 países”, declarou o bispo.

Diante de milhares de olhares atentos, o bispo Júlio Freitas explicou ainda que a fé deve ser praticada com lucidez. “Os preconceituosos, os extremistas desta sociedade veem aqueles que buscam a Deus como fracos, pobres, pessoas sem cultura, porque sabem que em Deus fomos livres; que em Deus reedificamos a nossa vida em todas as áreas, e assim desfrutamos de uma vida de qualidade, equilibrada, que nos faz independentes de tudo e de todos, mas nos faz dependentes de Deus em tudo. Não somos fracos, somos fortes e aqui está a prova: a primeira Catedral da Fé da Europa de construção própria. A primeira de muitas!”, afirmou.

“Tenha em mente uma coisa: quando uns perdem, outros ganham”, completou o bispo.

Na reunião ministrada às 15hs, mais de 1,7 mil jovens se concentraram no auditório principal da Catedral. Na oportunidade, o bispo Júlio Freitas orientou sobre a importância de perseverar na prática do que é bom e verdadeiro para que possam servir a Deus e ao próximo. Em seguida, orou para que todos os presentes tivessem o privilégio de servir a Deus no Átrio ou no Altar através de um encontro pessoal com Deus.

Sem preconceitos

A última reunião do dia foi dedicada, especialmente, aos membros, evangelistas, obreiros, pastores e bispos. Na mensagem, o bispo Júlio Freitas falou sobre a importância de assumir a fé e dar aos demais a mesma oportunidade que cada um dos presentes teve.

“Muitos pensam que a responsabilidade de evangelizar as demais pessoas é somente dos bispos, pastores, obreiros ou evangelistas. Não! Essa responsabilidade foi confiada a todos que tiveram uma experiência pessoal com Deus”, afirmou.

“Assim como nos foi dada a oportunidade de nos sentarmos à Sua mesa e desfrutarmos do Seu pão (perdão, prosperidade, saúde, paz, equilíbrio emocional...), Cristo deixou claro, desde o início, que não faz acepção de pessoas, que não discrimina, não julga as pessoas pela aparência, condição social, nacionalidade, habilitações ou pelos seus muitos acertos ou erros nesta vida. Deus chama a todos!”, completou o bispo. E exortou: “Cristo deixa claro que a Sua obra começa aqui, neste mundo, onde temos que comer do pão do reino de Deus e compartilhá-Lo com os demais, que significa uma família unida, um carácter irrepreensível, um corpo saudável, uma vida sentimental realizada e a certeza da sua salvação. Contudo, a verdade de Deus ‘machuca, dói’, porque as pessoas estão acostumadas com o engano, a mentira, os sofismas, a religiosidade, a incredulidade, o fanatismo, o desequilíbrio, mas os que são humildes, sinceros, aceitam a Verdade, e esta faz o ouvinte praticante livre”.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também