Igreja Universal realiza culto de resgate das pessoas afastadas

Igreja Universal realiza culto de resgate das pessoas afastadas

Atualizado: Terça-feira, 27 Setembro de 2011 as 9:35

Em todos os Cenáculos do Espírito Santo espalhados pelo Brasil, aconteceu, neste domingo (25), o "Grande Dia do Resgate", uma reunião especial voltada para as pessoas que estavam afastadas de Deus, mas decidiram voltar.

Em São Paulo, o encontro foi ministrado pelo bispo Edir Macedo no Cenáculo do Espírito Santo em Santo Amaro, zona sul da capital paulista, onde ele chamou à frente do altar todos os afastados e pediu a Deus que fossem livres do sono da morte.

Na ocasião, o bispo esclareceu que o trabalho da Igreja Universal é focado naqueles que estão caídos e desanimados. "Jesus focou o trabalho dele em pessoas que estavam precisando e que, ainda hoje, precisam. Quem nasceu do Espírito de Deus tem o mesmo objetivo e caráter que Jesus. Se você tem o Espírito Santo, então você quer salvar, quer ajudar", ensinou.

Ajuda que alcançou a milhões de pessoas, de norte a sul do País.  Em Manaus (AM), a estudante Simone do Nascimento Ferreira, de 28 anos, relatou que acabou se afastando por problemas familiares. Durante quase três anos ela esteve em más companhias, no qual se envolveu com o alcoolismo. "Tornei-me uma pessoa depressiva, sentia fortes dores de cabeça a ponto de ter que tomar remédio controlado. Quase tive um Acidente Vascular Cerebral (AVC). A convite da minha mãe, eu decidi voltar. Recomecei há quatro anos. Minha família foi restaurada e encontrei a verdadeira felicidade com o Espírito Santo", assegura.

A microempresária Maria Elizabete Nascimento, que esteve afastada por três meses, revela ter chegado à reunião do Resgate, no Cenáculo de Campo Grande (MS), muito angustiada e sem perspectiva de vida.  Mas, ao final da reunião, ela percebeu a mudança. "Estou saindo daqui restaurada e alegre. Recebi um novo coração", diz emocionada.

Em Natal (RN), o comerciário Rosivan da Silva, 31 anos, disse conhecer bem o drama de estar afastado. Os 15 anos de conversão não foram suficientes para mantê-lo em aliança com Deus. "Envolvi-me com más amizades que me fizeram esfriar na fé. Passei a beber e viver de festas. Sabia que estava errado e sempre quis voltar, mas sentia muita vergonha. Voltar para o Senhor Jesus é maravilhoso. Hoje eu sinto que nasci de novo", afirma.

Para a frequentadora da IURD de Porto Alegre (RS), Ione Cherubim, de 46 anos, se afastar de Deus foi a pior decisão que já tomou em toda a vida. "Estava muito preocupada com meu filho e marido viciados. Tentei de tudo, porém me convenci de que sozinha não poderia fazer nada. Vim buscar por eles e, ao participar da reunião, entendi que devo buscar por mim em primeiro lugar. Até a dor que eu tinha quando cheguei saiu", conclui.

veja também