Igrejas luteranas devem planejar novas ações missionárias

Igrejas luteranas devem planejar novas ações missionárias

Atualizado: Quinta-feira, 25 Novembro de 2010 as 10:04

"A Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) precisam sair da zona de conforto e capacitar-se para o exercício estratégico da missão", propôs o professor Gustavo Becker ao apresentar palestra, no sábado, 20, no Fórum Luterano de Comunicadores (FLC), reunido em São Leopoldo.

"Como a comunicação pode ser usada para a igreja cumprir a sua missão?", indagou o professor da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). “Temos que usar canais que não são apenas do contexto das igrejas, como as redes sociais”, propôs.

Mesmo contando com a ação espiritual no processo, ela não isenta as igrejas de investir em planejamento, estabelecendo objetivos, metas e estratégias para alcançá-las, enfatizou. O FLC entendeu a proposta e vai sugerir à direção das duas igrejas que procurem realizar um planejamento conjunto para suas ações missionárias em território brasileiro, evitando, assim, duplicidades de presença.

Na reflexão de abertura do encontro e assembléia do FLC, o pastor Heitor Meurer destacou que a comunicação cristã não é uma produção independente, mas ela é precursora, com um mandato definido: o anúncio da paz.

Nos debates que o tema do encontro – Comunicação e missão – suscitou, o comunicador e desenhista Artur Nunes lamentou que as igrejas luteranas tenham um discurso horizontal, mas uma prática vertical, dependente, muitas vezes, do pastor, que centraliza as ações, esquecendo-se de um princípio basilar da Reforma protestante, o sacerdócio universal de todos os crentes.

A assembléia do FLC decidiu incentivar projetos de leitura crítica da comunicação e de programas de capacitação de leigos e obreiros. Também agendou, para 1 de outubro de 2011, a realização do Encontro Anual de Comunicadores, em local ainda a ser definido.

Para o biênio 2011-2012, a assembléia elegeu o pastor Rony Ricardo Marquardt como presidente da equipe coordenadora, que também conta com Artur Nunes, a jornalista Tatiana Sodré e Heitor Meurer. Rony é o representante do FLC no consórcio mantenedor da Agência Latino-Americana de Comunicação (ALC), que tem sede e foro em Buenos Aires.

veja também