Igrejas organizam "Dia Nacional de Oração pela Costa do Golfo" nos EUA

Igrejas organizam "Dia Nacional de Oração pela Costa do Golfo" nos EUA

Atualizado: Terça-feira, 20 Julho de 2010 as 10:16

O “Dia Nacional de Oração para o Golfo,” promovido pela Associação Nacional de Evangélicos e Rede Ambiental Evangélica, espera inspirar milhares de Cristãos a orarem pelos moradores da Costa do Golfo afetados pelo derramamento de petróleo BP.

Inicialmente, os organizadores previram orar para o óleo parar de jorrar no Golfo do México. Mas agora que a nova tampa de contenção parece estar parando o vazamento de petróleo, os participantes serão convidados a orar para o processo de recuperação em longo prazo.

“Eu acho que a mudança de ênfase será como podemos pedir a Deus por sua ajuda e com a ajuda da Igreja no processo de recuperação em longo prazo tanto da natureza quanto em termos de vida das pessoas,” disse o Rev. Joel Hunter, sênior pastor de Northland, uma Igreja distribuída perto de Orlando, na Flórida, para o The Christian Post, na sexta-feira.

Hunter, que é membro da diretoria da NAE, disse que pretende conversar com sua congregação no domingo, durante a “hora da família (family time),” sobre o derramamento de óleo e pedir-lhes para orarem pelas comunidades afetadas da costa do golfo.

Em algum lugar, entre 94 e 184 milhões de galões de petróleo foram derramados no Golfo do México desde a explosão da plataforma de perfuração de 20 de abril, de acordo com estimativas do governo. BP foi capaz de parar o jorro de petróleo no Golfo pela primeira vez na quinta-feira – depois de quase três meses do óleo fluir livremente no oceano.

Uma tampa de contenção de novo parece estar, efetivamente, parando o vazamento. Mas os especialistas ainda estão analisando a pressão no poço para determinar se há um vazamento em outro lugar. A pressão como a de sexta-feira é de 6.700 pounds por polegada quadrada, o que significa que poderia haver um vazamento de óleo ou de que tanto se tem derramado que levará tempo para criar pressão, segundo a CNN. Uma pressão maior que 7.500 psi poderia indicar uma chance menor de um vazamento.

O Rev. Mitch Hescox, presidente da Rede Ambiental Evangélica, estará em vários Estados da costa do Golfo, neste fim de semana, para orar com Cristãos locais por suas comunidades.

Ele se recordou das memórias de sua viagem para a Costa do Golfo, em junho.

“Acho que o mais comovente foi colocar as mãos no óleo e ver como isso mancha toda a criação – a grama, a água e até animal – e ouvir as pessoas contarem suas histórias de como eles não podem mais pegar camarão ou ostras dessas águas, e que todas as suas vidas foram destruídas,” disse Hescox.

O ambientalista evangélico disse que os sentimentos entre as pessoas que ele conheceu na Costa do Golfo é de que levará décadas para limpar a devastação do derramamento de óleo. No entanto, apesar dos grandes obstáculos que vêem à frente, os Cristãos na área continuam a ter a esperança de que Deus vai “corrigir o problema,” disse ele.

“Deus é a fonte de sua força,” disse Hescox, que estará em Alabama, Mississippi e Louisiana, neste fim de semana, para orar com as comunidades da costa do golfo. “Quando alguém começar a falar negativamente, outros teriam que saltar e dizer que Deus vai entregar-nos, que temos que manter a esperança e temos que confiar em Deus.”

Igrejas na costa do Golfo, área de Alabama participarão em um serviço do amanhecer de domingo inter-denominacional na praia de Gulf State Park. E congregações da Pensilvânia para a Califórnia e tão distantes quanto a Nova Zelândia irão observar o Dia Nacional de Oração para o Golfo do local de sua própria Igreja.

O reverendo Leith Anderson, presidente da NAE e pastor sênior da Igreja Wooddale em Eden Prairie, Minnesota, disse que os líderes dos sete cultos dominicais em sua Igreja vão levar fiéis em oração para as comunidades da costa do golfo.

“Os Estados Unidos tem uma longa tradição de apelar para a oração quando enfrentamos desafios nacionais,” disse Anderson ao The Christian Post. “O derramamento de petróleo do Golfo é um grande desafio nacional. Estamos apenas fazendo o que os Norte-americanos e os evangélicos têm feito ao longo de nossa história.”

veja também