Igrejas se unem no Alabama depois dos tornados

Igrejas se unem no Alabama depois dos tornados

Atualizado: Quarta-feira, 4 Maio de 2011 as 9:42

Os membros da Igreja Batista em Tuscaloosa, Alabama (EUA), que foram desalojados depois que o tornado destruiu a Igreja na semana passada, encontraram na Igreja Batista Porta Aberta um local para adorar a Deus.

“Enquanto eles cantavam ‘Somente em Cristo’ e ‘Cristo é Nossa Rocha’ e ‘Grande é Sua Fidelidade’, eles cantavam com paixão e convicção que isso é verdade. Isso é real”, disse K.J.Pugh, pastor da Igreja Batista Porta Aberta, ao The Christian Post.

“Essa manhã eu li Isaías 33.6 ‘E haverá estabilidade nos teus tempos, abundância de salvação, sabedoria e conhecimento; e o temor do SENHOR será o seu tesouro’. Esse é o senso comum – que o Senhor é a estabilidade dessa Igreja e nós iremos emergir mais fortes”.

As duas Igrejas irão compartilhar a mesma instalação, por enquanto, combinando noites de atividade de quarta-feira. Há pouca preocupação sobre a situação do edifício. Eles estão mais focados nas necessidades dos cultos.

“Algumas das coisas mais difíceis eu vejo são as pessoas saindo de suas casas empurrando carrinhos de bebê, carregando poucos objetos pessoais que sobraram. Sinto que estou em um daqueles filmes de desastres”, afirma pastor K.J.Pugh.

Os tornados atingiram os EUA na semana passada e deixaram mais de 200 pessoas mortas somente no Alabama. O Serviço Nacional de Meteorologia tem dito que esse foi o maior tornado registrado na história dos EUA. Mas no meio da devastação, Deus está trabalhando.

Colby Mouchette, um jovem pastor da Igreja Batista destruída, tem ido de porta em porta em Tuscaloosa ao redor de sua Igreja, para evangelizar, mas não davam atenção. Agora, depois dos acontecimentos, as pessoas estão ouvindo a mensagem do Evangelho.

“Eu tenho uma relação familiar com muitos vizinhos,” disse Mouchette ao The Christian Post. “Trabalhávamos com crianças, mas os adultos não estavam muito abertos para o evangelho”.

“Depois do furacão, estava andando, buscando por pessoas, e para minha surpresa cerca de 50 pessoas que não me davam ouvidos quando batia em suas portas, me abraçaram na rua. Elas estavam arrasadas porque o prédio da Igreja foi destruído.

Então eu lhes disse: A Igreja não se foi, somente o edifício, mas as pessoas continuam aqui para agradecer ao Senhor”.

veja também